vascular.pro

Subscribe to vascular.pro feed
Clinica de cirurgia vascular, angiorradiologia, endovascular, ecodoppler vascular, angiologia e radiologia intervencionista. Tratamento de varizes com laser.
Updated: 2 hours 21 min ago

Trombose Venosa Profunda (TVP)

Mon, 05/22/2017 - 22:11

A você paciente, nossos cumprimentos. Se está lendo este pequeno texto, isto significa que está interessado na sua saúde. Para se aprofundar no assunto ou avaliar a sua situação, passe em consulta com um cirurgião vascular.

 

A palavra trombose, que tanto nos assusta, significa a coagulação, uma espécie de solidificação do sangue dentro dos vasos sanguíneos. Muitas pessoas confundem a trombose venosa com a arterial, ou seja, aquela que ocorre nos vasos responsáveis pela condução do sangue para nutrir as extremidades. Não é. A trombose venosa ocorre nos vasos sanguíneos responsáveis pelo retorno do sangue ao coração e pulmões, depois de passar pelos tecidos de nosso corpo. Ao contrario da trombose nas artérias, a trombose venosa raramente é causa de amputação, ainda assim, está longe de ser doença benigna.

 

Complicações ligadas à trombose venosa:

 

Existem pelo menos duas complicações importantes, uma de curto prazo e outra de longo prazo ligadas a TVP. Na fase aguda (que dura alguns dias), pode ocorrer o deslocamento do trombo ou a formação de novo trombo a partir do local de formação (90% se inicia nas pernas) e este material viaja através do sistema venoso até causar a oclusão de um vaso no pulmão. Isto é chamado embolia pulmonar. Se a oclusão for múltipla ou em vasos pulmonares maiores, há risco de falência cardíaca, infarto pulmonar e até morte. Passada a fase aguda, o trombo na veia costuma se estabilizar e a chance de embolia pulmonar diminui drasticamente. Entretanto, se a trombose na perna não for tratada adequadamente, a dificuldade do retorno do sangue ao longo dos anos pode causar o represamento do sangue nessa perna e isso é a causa da segunda complicação, a chamada síndrome pós trombótica. Esta é caracterizada pelo inchaço crônico, sensação de peso ou dor de forma geral, escurecimento das pernas e, nos estágios mais graves, a abertura de feridas geralmente próximas aos tornozelos. Podendo demorar meses ou até mesmo anos para cicatrizar, essa síndrome é fonte considerável de sofrimento ao portador.

 

Qual a origem da TVP?

 

A TVP pode ocorrer sem um motivo aparente, mas a maioria (7 em cada 10) pode ser relacionada a algum fator de risco como:

  • Cirurgia recente, em especial as prolongadas, ortopédicas, por câncer e em pacientes acima de 40 anos
  • Traumatismos, principalmente associado a fratura
  • Câncer em atividade
  • Imobilização prolongada
  • Insuficiência cardíaca
  • Trombose venosa prévia
  • Gestação no último trimestre, e logo após o parto
  • Familiares (pais e irmãos) com TVP sem causa identificada
  • E a hospitalização. A TVP é uma das principais causas de mortalidade – não ligada à doença primária da internação durante a hospitalização – que é passível de prevenção

 

Quais são os sintomas da TVP?

 

Um aspecto difícil com relação a esta doença é o fato de metade dos casos não apresentarem sintomas. Por outro lado, quando estes existem, em especial na presença de fatores de risco, devem ser valorizados. Dor em peso ou aperto associado ao inchaço em apenas uma das extremidades – que pode ser superior (braços), mas 90% dos casos envolvem os inferiores (pernas) – devem chamar a atenção para a possibilidade de TVP. Inchaços em ambos os lados sugerem outras causas, frequentemente sistêmicas como insuficiência cardíaca, renal, hepática, alterações da tireóide e outras.

 

Como se trata a TVP?

 

A TVP, quando diagnosticada e tratada precocemente, geralmente evolui bem, bastando o uso de anticoagulantes, que atualmente podem ser administrados por via injetável e/ou por via oral. O uso destes anticoagulantes diminui a chance das complicações como embolia pulmonar e síndrome pós trombótica, ou ao menos minimiza seu impacto. O tempo de tratamento pode variar de poucas semanas até indefinidamente dependendo de sua origem, e pode envolver mais do que um tipo de medicação ao longe desse tempo.

Com relação a viagens, a chance exata de desenvolver trombose não está bem estabelecida. Sabemos que não é muito frequente, mas os portadores dos fatores de risco e, particularmente, em viagens aéreas de longa duração devem receber atenção especial. Beber agua em abundância, movimentar-se de hora em hora e, eventualmente, utilizar meias de compressão são medidas interessantes e suficientes para a maioria dos viajantes.

 

Dica:

 

Se você tem dúvidas sobre a prevenção, diagnóstico ou tratamento de trombose, converse com seu cirurgião vascular. Ele é o especialista que tem conhecimento sobre as melhores técnicas de investigação, prevenção e tratamento podendo, em conjunto com o paciente, definir a melhor forma de controlar esse problema.

Veja no vídeo o coágulo se formando. Veja os sintomas da trombose venosa.

A trombose venosa profunda é assunto recorrente aqui simplesmente pela sua importância e gravidade. 1 em cada 10 mortes em hospital ocorrem decorrentes da embolia pulmonar, sua principal complicação. Leia nossos outros artigos também:

 

 

Fonte: SBACV, Trombose Venosa Profunda. 2015

Tags: vascularvenosotrombose
Categories: Medicina

Endarterectomia de Carótida

Fri, 05/19/2017 - 22:18

É a retirada da placa aterosclerótida da carótida através de cirurgia aberta. É indicada quando há estenose ou estreitamento da artéria que leva sangue para o cérebro. O tratamento visa evitar o derrame.  Existem várias técnicas, e todas tem o objetivo de desobstruir a artéria que leva sangue ao cérebro e impedir sua oclusão. É uma cirurgia preventiva, ou seja, tem o intuito de prevenir o derrame.

Veja no video a seguir como é feito o procedimento:

Veja também

arterialartériacarótidacirurgia aberta
Categories: Medicina

Teste de Estresse

Mon, 05/15/2017 - 20:41

O primeiro passo para demonstrar o estresse é reconhecer sua existência: admitir que se trata de uma doença é vital para se combatê-la. Avalie regularmente seu nível de estresse quantificando as afirmações deste questionário que mais se aproximem de sua experiência real.

Este teste não leva mais do que 5 minutos.

You need an iframes capable browser to view this content.

Tags: testeestresse
Categories: Medicina

Derrames e carótida Dr Alexandre Amato

Fri, 05/12/2017 - 20:35

 

Transcrição: Olá, sou doutor Alexandre Amato, sou cirurgião vascular do Instituto Amato. E hoje vamos falar sobre derrame e a carótida. O derrame (AVC) todo mundo já ouviu falar de uma maneira ou de outra já sabe mais ou menos o que que é. Agora, o que é a carótida e qual a relação entre os dois? Bom, o AVC o derrame é uma maneira ou de outra a falta da irrigação ou uma isquemia de uma parte do cérebro e onde o cérebro deixa de funcionar, a carótida é a artéria que passa pelo pescoço e leva o sangue ao cérebro, essa artéria nós temos dos dois lados as artérias carótidas e as artérias vertebrais, são as 4 principais artérias que irrigam o nosso cérebro, quando nós temos um entupimento ou uma estenose ou uma placa de aterosclerose nessa artéria nós podemos ter uma diminuição da irrigação do cérebro e também pequenas embolizações, pequenas as partículas que vão para o cérebro e que podem diminuir a irrigação lá em cima. Então, o que que é a placa? A placa aterosclerótica nada mais é do que uma oclusão gradual dessa artéria até um ponto em que ela pode ocluir por completo. Essa placa ela não aparece da noite para o dia, é uma doença que ocorre lenta e progressivamente, normalmente está associada a todos os fatores de risco da aterosclerose, como cigarro e hipertensão e alimentação muito gordurosa, tudo isso está relacionado com a formação da placa, mas um aspecto muito importante que as pessoas não entendem é, quando fazem o exame identificam essa placa aterosclerótica na carótida e já começa a ser associado com a ideia do AVC, com a ideia do derrame. Na realidade a identificação dessa placa dessa estenose ela não significa que o paciente vai ter um AVC, essa é uma das grandes vantagens da medicina atual é quando a gente identifica a doença num paciente assintomático, que não tenham o sintoma ainda da doença e é aí que a gente pode atuar para prevenir a evolução para um AVC o derrame. Então quando a gente identifica a estenose em um momento assintomático em que o paciente não percebeu ainda que tinha essa lesão, esse é um momento bom em que a gente pode começar o tratamento, porque não aconteceu nada não teve o derrame, não teve um AVC ainda. Obvio, também tem os casos em que já ocorreu, mas hoje eu estou falando sobre os pacientes assintomáticos. Então, identificado a doença existe o tratamento clínico e o tratamento cirúrgico. O tratamento clínico consiste em medicações principalmente para tratar os fatores de risco, parar com os hábitos de vida deletérios, como o cigarro principalmente, melhorar a alimentação e dependendo do grau de estenose, veja bem, aqui nessa placa ela pode estar tão ocluída que pode ser necessário já alguma cirurgia. E hoje em dia nós temos a cirurgia aberta mas temos também a cirurgia endovascular. A cirurgia aberta consiste em um corte no pescoço, onde a gente retira essa placa e abre o caminho para um fluxo adequado para o cérebro ou a cirurgia endovascular que é um pequeno furinho nessa ateria, na artéria da virilha normalmente e que a gente coloca um stent e esse stent vai abrir essa artéria novamente. Então, identificado o problema não é para entrar em desespero, a estenose de carótida ela deve ser acompanhada pelo cirurgião vascular, quando identificada no paciente assintomático que não teve o derrame não teve o AVC ainda, há muito a ser feito. Então, o tratamento Clínico consiste principalmente no controle dos fatores de risco então, tabagismo parar de fumar imediatamente e controle das outras doenças associadas e alguns medicamentos para estabilização dessa placa, mas se a estenose ou a placa já foi muito grande, já tiver muito apertada, estiver passando pouco sangue ou essa placa for de alto risco para a embolização, pode ser necessário a cirurgia. Lembrando que eu estou sempre aqui para tirar as suas dúvidas. Esse foi um assunto muito pedido nas nossas redes sociais, entre você também nas nossas redes sociais solicite um assunto da competência vascular e compartilhe o nosso vídeo. Muito obrigado.

 

Veja também:

Entrevista sobre AVC

O que é o derrame?

arterialvideoamatotv
Categories: Medicina

Embolização de miomas

Thu, 05/11/2017 - 01:39
Embolização de miomas

O tratamento de miomas uterinos por via endovascular, com a técnica chamada de embolização uterina visa a obstrução das artérias nutridoras. É um procedimento seguro, que oferece uma recuperação bem mais rápida para as pacientes. Foi descrito pela primeira vez em 1995 por um ginecologista francês e é realizado por especialistas em cirurgia endovascular e radiologia intervencionista.

Os critérios para indicação da cirurgia e regras para a liberação dos convênios foi bem estabelecida pela ANS.

 

 

Se você é médico e deseja se informar sobre a embolização de miomas, a equipe Vascular.pro criou um curso médico online gratuito sobre a embolização de miomas.

!function(f,b,e,v,n,t,s){if(f.fbq)return;n=f.fbq=function(){n.callMethod? n.callMethod.apply(n,arguments):n.queue.push(arguments)};if(!f._fbq)f._fbq=n; n.push=n;n.loaded=!0;n.version='2.0';n.queue=[];t=b.createElement(e);t.async=!0; t.src=v;s=b.getElementsByTagName(e)[0];s.parentNode.insertBefore(t,s)}(window, document,'script','//connect.facebook.net/en_US/fbevents.js'); fbq('init', '617007545111529'); fbq('track', 'PageView'); miomaembolizaçãoendovascularginecologiaútero
Categories: Medicina

O que é derrame?

Thu, 05/11/2017 - 01:36

O derrame é para o cérebro o que o infarto é para o coração. Em ambas as situações uma artéria que irriga o órgão, levando nutrientes para ele, é obstruída, causando o sofrimento de suas células pela falta de oxigênio em um processo chamado isquemia, que pode levar a morte e a perda do tecido.

Veja seu risco de ter doença carotídea.


Esse evento no cérebro é chamado acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico (AVE) e é a principal causa de morte no Brasil. Existem dois tipos de derrame: o isquêmico (a maioria dos casos) e o hemorrágico. Este último é causado pelo sangramento de uma artéria (normalmente uma artéria que tem uma porção dilatada, isto é, um aneurisma). O sangue preenche o espaço que recobre o tecido nervoso, aumentando a pressão sobre ele. São condições associadas ao AVC hemorrágico o tabagismo, a pressão alta, o alcoolismo e algumas doenças genéticas. O evento pode ser desencadeado por esforço físico e se manifesta subitamente com forte dor de cabeça, vômitos e sonolência, podendo levar ao desmaio. É possível também que a pessoa apresente dificuldade de encostar o queixo no peito, como acontece na meningite. Essa é uma situação de emergência, que necessita de atendimento médico imediato.
Já o AVC isquêmico é causado pela obstrução de uma artéria que irriga o cérebro. Essa obstrução pode resultar da presença de uma placa de aterosclerose nessa mesma artéria ou em artérias distantes, ou da presença de trombos no coração. Mas como uma placa distante pode obstruir um vaso dentro do cérebro? Isso acontece por meio de êmbolos. 
O êmbolo é um pedacinho de um trombo ou restos de uma placa, presente em alguma outra parte do corpo, que se soltou e percorreu os vasos sanguíneos até alcançar o cérebro. O trombo inicial pode estar presente no coração ou em alguma outra artéria. Ele se forma em cima de placas de aterosclerose presentes nos vasos ou se forma devido à presença de determinados tipos arritmia do coração.
O derrame pode se manifestar de diferentes formas, dependendo de qual parte do cérebro não está mais recebendo sangue e oxigênio. O paciente pode não conseguir mexer os braços, apresentar dificuldade para falar, não conseguir sorrir, ter sensações estranhas do tipo formigamento nos membros, não conseguir caminhar, sentir tontura (“leveza”), os olhos podem desviar para os lados, as pálpebras podem ficar caídas. Pode ser que somente um desses sintomas esteja presente, entre outros possíveis. Essa também é uma situação de emergência, necessitando de atendimento médico imediato.
Nem sempre o evento pode ser evitado, mas manter um estilo de vida saudável com a prática regular de atividade física, uma alimentação balanceada e evitar o tabagismo, assim como manter sob controle outras doenças como pressão alta e diabetes, ajudam na prevenção da doença aterosclerótica e, consequentemente, do derrame.

 

avcderrameaterosclerose
Categories: Medicina

10 Mitos Sobre As Varizes

Mon, 05/08/2017 - 16:08

Varizes são vasos sanguíneos levantados, grandes, inchados, tortuosos (que se torcem) e podem ser vistos através da pele. As varizes são uma condição comum, com 3 milhões de novos casos todos os anos nos Estados Unidos e com cerca de 25 por cento dos adultos sendo afetados (dependendo dos critérios até bem mais). Apesar do seu aspecto comum, muitas pessoas não estão familiarizadas com o quão problemáticas elas podem ser, o que as causa, e quem as adquire. Aqui, vamos repassar alguns mitos que cercam as varizes e esclarecer as coisas.
MITO: As varizes são apenas um problema cosmético
As pessoas tem muitas vezes a impressão de que as varizes são apenas um problema estético e, portanto, não necessitam de intervenção médica. Embora nem todo mundo vá experimentar outros sintomas, há um número significativo de pacientes que os desenvolvem. Os sintomas incluem cãimbras, sensação de peso, dores, inchaço e desconforto nas pernas. Você também pode experimentar pele seca e coceira perto das varizes. Varizes também te colocam em risco de formação de trombose venosa profunda. Sintomas menos comuns incluem a mudança de cor e espessamento da pele, úlceras e hemorragias. Qualquer dano de pele provocado por varizes é permanente. Portanto, se você tem varizes, é importante que você converse com seu médico sobre o tratamento venoso.
MITO: As varizes são inevitáveis
Algumas pessoas têm a impressão de que todo mundo tem varizes conforme ganha idade, e que apenas idosos ganham varizes. No entanto, enquanto o envelhecimento faz as varizes piorarem, nem todo mundo vai adquiri-las. Além disso, pessoas mais jovens também podem ter varizes. A principal causa das varizes é genética, então se você tem um membro da família com varizes, é mais provável que você vá desenvolvê-las e o tratamento precoce pode evitar as formas graves e avançadas da doença. Além disso, fatores hormonais, como gravidez e pílulas anticoncepcionais podem piorar as varizes. Elas não têm nada a ver com a idade.
MITO: Apenas mulheres tem varizes
As varizes são mais comuns em mulheres; no entanto, os homens também podem tê-las. Cerca de 25 por cento das mulheres lidam com varizes, enquanto aproximadamente 10% dos homens o fazem. Os homens às vezes tem receio de investigarem ou passarem o cirurgião vascular por pensarem em varizes como "problema de mulher". É um problema de saúde que faz com que homens e mulheres precisem de consulta com um profissional médico.
MITO: As varizes são causadas por correr demais
Há uma percepção de que correr faz com que se ganhe varizes. Na realidade, o exercício é algo positivo para as suas veias porque estimula o seu curso de circulação e melhora a principal bomba sanguínea periférica. Quando você caminha ou corre, faz seu músculo da panturrilha bombear mais sangue. Se você tem varizes e é um corredor, é vantajoso usar meias de compressão para evitar que seu sangue acumule. Além disso, após o exercício, é aconselhável elevar suas pernas.
MITO: As varizes podem sempre serem vistas
Enquanto você pode perceber as varizes bem debaixo da pele, elas também ocorrem mais profundamente no corpo, onde não podem ser vistas.  Por exemplo, se há tecido adiposo entre sua pele e músculo, você não poderá ver varizes por baixo. Varizes superficiais são apenas uma parte do quadro.
MITO: As varizes são causadas por ficar em pé o dia todo
Algumas pessoas acreditam que, se você tem um trabalho em que você necessita ficar em pé o dia todo, é mais propenso a desenvolver varizes, mas isto não é necessariamente verdade. Enquanto pessoas que ficam o dia todo em pé, tais como comissárias de voo, podem se sentir mais incomodadas por suas varizes, ficar em pé por muito tempo não foi provado como causa de varizes, e sim agravante e sintomático. Os sintomas são apenas mais aparentes se você está parado.
MITO: Não há nenhum ganho em fazer mudanças no estilo de vida
Se você tem varizes, existem algumas mudanças de estilo de vida que você pode fazer para aliviar seus sintomas. Por exemplo, a obesidade piora as varizes; Se você é obeso, perder peso pode ajudar a reduzir os sintomas das varizes. Além disso, tornar-se mais ativo pode ajudá-lo com suas varizes porque melhorará a sua circulação. Outros passos que você pode tomar para aliviar os sintomas de varizes incluem usar meias de compressão, elevar as pernas e o fortalecimento de suas panturrilhas.
MITO: Você precisa de cirurgia para tratar as varizes
No passado, a única opção de tratamento para varizes era a remoção cirúrgica, uma cirurgia para remover as veias do corpo. Agora, você tem muitas opções de tratamento minimamente invasivas, tais como a ablação com laser endovenoso e ablação térmica por radiofrequência, ambas as quais oferecemos no nosso centro de Cuidados Avançados para Veias. Estes tipos de procedimentos tratam varizes, mas não exigem muito tempo de recupertação, permitindo-lhe voltar para sua vida tão logo quanto possível.
MITO: As varizes são curáveis
Infelizmente, as varizes não são curáveis. Elas são tratáveis, mas podem reaparecer após o tratamento. Felizmente, o tratamento para varizes é eficaz em aliviar os sintomas e diminuir a sua aparência, então vale a pena investir no tratamento. Mas fique ciente de que elas podem reaparecer depois de algum tempo. O que nada impede de continuar o tratamento.

Tags: varizesvenosoveiavasinhos
Categories: Medicina

Gravidez e Varizes

Mon, 05/01/2017 - 20:26

Varizes podem acontecer a qualquer um, mas elas são especialmente comuns em mulheres grávidas. Estes vasos sanguíneos inchados, com protuberâncias próximas da superfície da pele, ocorrem mais comumente nas pernas, mas também podem aparecer em outros lugares, na parte inferior do corpo e até mesmo em seu reto e vulva. Para muitas mulheres grávidas, estas veias desagradáveis são desconfortáveis ou as fazem se sentir constrangidas, mas você não tem que viver com elas para sempre. Neste artigo, nós veremos as informações críticas as quais você precisa saber sobre gravidez e varizes.

Por que mulheres grávidas ficam com varizes?

As varizes ocorrem porque o sangue começa a acumular nas veias, conforme o sangue luta para desafiar a gravidade e retornar de volta ao coração. Em mulheres grávidas, conforme o útero aumenta de tamanho com o bebê, coloca mais pressão sobre a veia cava inferior, a veia longa que corre ao longo do lado direito do seu corpo. Esta, por sua vez, coloca mais pressão sobre as veias em suas pernas. Além disso, quando você está grávida, há um aumento do volume de sangue em seu corpo. Além de tudo isso, seus níveis de progesterona ficam mais elevados, o que faz com que as paredes dos vasos sanguíneos relaxem. Eis porque as varizes são um problema comum durante a gravidez. Muitas mulheres desenvolvem varizes pela primeira vez quando estão grávidas, ou se elas já têm varizes, o problema se agrava conforme sua gravidez progride.

Algumas mulheres são mais propensas a desenvolver varizes durante a gravidez do que outras por causa da genética. Se um membro da sua família tem varizes, é mais provável que você as tenha. Além disso, se as tiver, geralmente pioram após cada gravidez e com a idade. Você também é mais propensa a desenvolver varizes, se você estiver com sobrepeso ou obesidade, estiver carregando gêmeos ou múltiplos ou se fica de pé regularmente por longos períodos de tempo.

Prevenção

Se você está grávida e preocupada com o desenvolvimento das varizes, existem várias maneiras para que você consiga impedi-las ou retardá-las. Claro, há tanta coisa que você pode fazer sobre algumas das causas das varizes, mas se você tomar certas medidas, você poderá ser capaz de, pelo menos, minimizar seu impacto.

Durma do lado esquerdo

Como dito acima, as varizes durante a gravidez são comuns porque o útero pressiona contra a veia cava inferior, que está no lado direito do seu corpo. Você pode aliviar alguma pressão desta veia dormindo do seu lado esquerdo, facilitando o fluxo de sangue.

Exercício diário

Uma das melhores maneiras para que você possa reduzir suas chances de adquirir varizes durante a gravidez é se exercitar todos os dias. Exercitando-se, você melhora a circulação nas pernas, facilitando que o sangue retorne ao seu coração e seja menos propenso a estagnar em suas veias. Incorpore trinta minutos de exercício moderado em sua rotina diária. Melhore a musculatura da panturrilha.

Elevar as pernas

Você também pode ajudar a sua circulação ao elevar as pernas. A cada três horas, faça uma pausa para sentar e levantar as pernas acima do coração. Quando em pé, alterne em qual perna você coloca o seu peso e tente não cruzar as pernas.

Controle seu peso

Excesso de peso coloca mais pressão sobre suas veias, tente não ganhar muito peso extra durante a gravidez. É normal e saudável, muitas vezes ganhar peso durante a gravidez, mas tenha cuidado. Fale com seu médico sobre quanto peso você deve ganhar.

Meias de compressão

Meias de compressão são uma ferramenta que muitas vezes usamos em nossa clínica de veias para melhorar o fluxo sanguíneo. Existem meias projetadas especificamente para as mulheres grávidas. Se você precisa de meias de compressão, nós podemos indicar aquelas feitas especificamente para você.

Evite a constipação

A constipação é comum durante a gravidez, mas pode agravar as varizes, então, tome medidas para impedi-la. Beba muita água, coma alimentos ricos em fibras e evite consumir muito sal. Se você precisa tomar um laxante para causar alívio, saiba que são seguros para uso durante a gravidez, mas converse com seu médico se você estiver preocupada.

 

Tratamento

Na nossa clínica de veias realizamos vários procedimentos para tratar as varizes, incluindo escleroterapia e ablação a laser endovenoso. No entanto, a cirurgia de veia não é recomendada para mulheres grávidas. Em geral, as varizes irão melhorar alguns meses após o nascimento, porque o útero já não vai pressionar tanto a veia cava inferior. No entanto, se você ainda tiver varizes de três ou quatro meses depois de ter tido seu bebê, você pode considerar receber um tratamento venoso. Se você tiver dado à luz recentemente e estiver preocupada com suas varizes, venha para uma consulta. Nosso cirurgião vascular vai trabalhar com você para determinar o melhor método de tratamento para as varizes. Contate-nos hoje para saber mais!

 

Leia também:

  Tags: gravidezvenosovarizes
Categories: Medicina

Angioplastia de carótida

Mon, 04/24/2017 - 21:22
Angioplastia ou stent de carótida

A angioplastia é a cirurgia por meio de punções, ou seja, minimamente invasiva realizada para a desobstrução de artérias. É uma técnica simples, porém sofisticada, que, entre outros benefícios, previne a ocorrência de isquemia cerebral (derrame). Para realizar a angioplastia, um cirurgião vascular utiliza um cateter que é colocado dentro da artéria para abrir espaço e facilitar o fluxo sanguíneo.

 

A angioplastia é importante para que o sangue chegue ao cérebro adequadamente.

 

Leia nossa coletânea de perguntas frequentes sobre carótida e seus tratamentos.

 

A colocação de stent por método endovascular em carótida é normalmente acompanhado da angioplastia pré ou pós procedimento. Os pacientes que poderão fazer angioplastia pré procedimento são aqueles onde a estenose é tão grave que o material endovascular não passa pelo estreitamento, e aqueles que fazem pós procedimento o fazem para acomodar o stent na sua posição ideal. Apesar de ser pré e pós, ambas angioplastias são realizadas no mesmo ato cirúrgico.  A restauração do fluxo pela angioplastia e pelo stent  libera a passagem do sangue para o cérebro através da obstrução na artéria carótida. A aterosclerose, doença que mais acomete as carótidas, também ocorre muito frequentemente no coração, e a angioplastia de carótida possui um risco menor de infarto do que a cirurgia aberta de carótida. Mas a indicação do melhor tratamento deve ser realizada em conjunto com seu cirurgião vascular. 

carótidaarterialartériavascular
Categories: Medicina

Como o estresse afeta o nosso corpo

Mon, 04/10/2017 - 21:41
A cardiologista Dra. Marisa Amato (CRM 30.400) explica quais são os principais efeitos do estresse no organismo e como ele pode afetar algumas das nossas principais funções. Confira!   Link para o teste: https://www.amato.com.br/content/teste-de-estresse   ***** Transcrição: Eu sou Marisa Amato, sou professora livre-docente da Universidade de São Paulo e cardiologista aqui do Instituto Amado. E hoje nós vamos falar sobre um tema que afeta muitas pessoas que é estresse. O nosso corpo ele tá preparado para quando tem um medo, para quando tem um problema, quando precisa sair correndo para fugir ele desencadeia algumas reações para ter energia e força para conseguir vamos assim escapar do perigo, e isso nós chamamos de reação de alerta, ela é no momento do fato, no momento que o homem identifica esse problema ocorrem liberações no cérebro, essas liberações são hormônios que vão agir no organismo inteiro preparando o organismo, por exemplo, para uma fuga essas são as reações de alerta e elas são feitas elas ocorrem para pessoa ter um curto espaço de tempo desempenhar um exercício muito forte. Ela é uma reação normal e natural para durar pouco tempo e essas reações imediatas elas afetam principalmente o aparelho cardiovascular então, a frequência cardíaca aumenta, a pressão arterial aumenta, capacidade respiratória aumenta aumentando o número de vezes que se respira e a profundidade para aproveitar melhor o oxigênio, há uma liberação de glicose do açucar no sangue para dar mais energia e há uma redistribuição do sangue, ou seja, os músculos que vão ser usados para uma luta, para uma corrida, para uma fuga eles recebem mais sangue nesse momento então há um rearranjo, uma redistribuição do sangue no organismo então, as pessoas ficam com as mãos com as  extremidades frias no momento de grande tensão, porque o sangue está indo nos órgãos que vão ser aproveitados de outra maneira. O que acontece nos dias de hoje, o que acontece para se viver numa civilização? Ninguém pode reagir um todo momento ao estresse que vive, e o que acontece? Esse estresse, essa tensão ela fica por muito tempo e esses hormônios que são liberados nesse momento para esse tipo de reação, eles permanecem no organismo, e se não se dá uma solução para o problema, eles continua agindo em nosso organismo. Então, as principais doenças causadas pelo estresse contínuo, constante por essa resistência ao estresse são as doenças do aparelho cardiovascular. Do ponto de vista da parte psicológica o estresse ele afeta muito, ele causa irritabilidade, insônia, diminui a capacidade de trabalho das pessoas, é isso essa angústia e tudo isso acaba levando a obesidade, a pessoa come compulsivamente e uma série de problemas, a obesidade acaba levando a diabetes, e entramos num ciclo vicioso aí as vezes a origem de tudo isso foi é apenas o estresse. Esse período de resistência que o organismo tem ao estresse, ele tem um limite chega um momento em que os órgãos entram em falência e não dão conta mais dessa adaptação e os problemas se tornam muito mais sérios podendo chegar até a morte. Eu digo para as pessoas dê um jeito de controlar o seu estresse, porque vai ter um momento que ele vai controlar você, e existem diversas técnicas para amenizar o que nós vivemos no dia de hoje. Temos uma maneira de avaliar o grau de estresse, quem se interessar pode entrar no site e calcular o grau de estresse. Se você gostou desse vídeo, compartilhe com seus amigos, e se quiser saber outros temas inscreva-se nosso site. Tags: estressecardiologiaprevenção
Categories: Medicina

Embolização de mioma

Mon, 04/10/2017 - 21:10

O dr. Alexandre Amato explica as possíveis complicações da Embolia de Miomas e o que ela pode causar na paciente. Assista ao vídeo e saiba mais! O Dr Alexandre Amato é angiorradiologista e realiza embolização de mioma em regime de hospital dia.

 

 

**** Transcrição: Olá, sou Alexandre Amato, sou cirurgião vascular e endovascular do Instituto Amato, e hoje vou falar só sobre a embolização de mioma. As mulheres principalmente que estão na fase fértil, elas têm a influência hormonal e podem desenvolver os miomas no útero, os miomas muitas vezes são assintomáticos, ou seja, não causam sintoma nenhum, mas algumas vezes podem causar dor, sangramentos, dismenorreia, ou seja, aquela menstruação ou no volume muito grande ou associado a dor. Os miomas possuem vários tratamentos, entre eles a embolização de mioma é o tratamento realizado pelo cirurgião endovascular, no qual a gente faz um pequeno furinho na virilha e vai com o cateter até a artéria uterina, a gente vai soltar algumas bolinhas, que vão cortar a nutrição desse mioma. Esse mioma vai acabar recebendo menos sangue e com menos sangue ele vai acabar murchando e diminuindo. A ideia da embolização de mioma é diminuir a sintomatologia, diminuir os sintomas que as mulheres sentem com esses miomas e é uma das melhores técnicas para se preservar a fertilidade e preservar o útero. Você gostou desse vídeo, dessas informações, achou o assunto interessante, quer ou vir falar um pouquinho mais sobre isso? Então curta e compartilhe nosso vídeo. Muito obrigado.

Tags: embolizaçãomiomaangiorradiologia
Categories: Medicina

Espaço Vascular

Fri, 03/17/2017 - 13:29

A Vascular.pro ocupa o espaço vascular do Instituto Amato, de modo que a nossa equipe de cirurgiões vasculares, angiorradiologistas, angiologistas e ecografistas vasculares atendem ambulatorialmente e cirurgicamente no Instituto Amato. O Instituto é amplo e atende diversas outras especialidades, oferecendo suporte multidisciplinar para seus pacientes. A junta médica permite a discussão e acompanhamento de casos complexos por múltiplos profissionais.
Exames minimamante invasivos como:

  • Pletismografia
  • Ecodoppler vascular (duplex scan/ultrassom colorido com doppler)
  • Flebovisualização
  • e outros

E cirurgias como:

E procedimentos como:

São realizados no espaço vascular que consiste em sala de atendimento, 2 salas de procedimento e exame, além de 2 salas operatórias totalmente equipadas.

Tags: vascular
Categories: Medicina