Feed aggregator

Teste de Fertilidade: Uma dieta saudável para engravidar

Ao responder as questões nesse teste de fertilidade você será capaz de ver se sua dieta está tendo um efeito positivo ou negativo na sua fertilidade, assim como a sua saúde em geral.

Se você está ciente dos seus maus hábitos alimentares você pode mudá-los para melhor para que então você possa se ajudar a conceber um filho.

Quiz Dieta Saudável

Para começar o quiz simplesmente clique no botão abaixo

Nutrição é extremamente importante quando se trata de fertilidade. Ao analisar o que você come e fazer algumas mudanças, você irá melhorar suas chances de engravidar. Faça mudanças gradualmente, assim você poderá continuar com a sua vida normalmente e sem colocar muita pressão sobre você.

Como ter uma dieta saudável e balanceada:

  • Compre pequenas quantidades de comida frequentemente, para garantir que estejam sempre frescas
  • Coma frutos da estação
  • Tenha suas 5 porções ao dia de frutas e/ou vegetais
  • Corte alimentos processados e pré-prontos
  • Coma carboidratos complexos e alimentos integrais
  • Evite carnes gordurosas
  • Beba chás de ervas ao invés de chá comum e café

O post Teste de Fertilidade: Uma dieta saudável para engravidar apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Teste de Fertilidade: Teste de bem-estar emocional

Responder às questões nesse teste de fertilidade dará a você uma ideia mais clara sobre se há fatores psicológicos ou emocionais que estão causando um efeito na sua vida em geral e, portanto, em suas chances de engravidar.

Quando se trata de fertilidade e concepção, a função da mente não é frequentemente compreendida, mas há uma ligação entre elas. Coisas como, qual tipo de personalidade você tem, sua capacidade de lidar com o estresse e suas experiências passadas, são somente alguns dos inúmeros fatores que podem influenciar como o seu corpo e suas funções trabalham.

 

O post Teste de Fertilidade: Teste de bem-estar emocional apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Endometriose: o Conselho de um Médico sobre Viver Com uma Doença Dolorosa

Endometriose é uma doença inflamatória pélvica que pode causar infertilidade e dor pélvica. Muitas vezes é difícil de diagnosticar porque não existem testes simples que identifiquem positivamente a endometriose. Toda mulher que experimenta dor pélvica ou infertilidade pode ter presença de endometriose, mas esses sintomas também podem ser devido a outras doenças ou problemas.

Endometriose consiste em Células Uterinas Crescendo Fora do Útero

Endometriose ocorre quando pequenas células que normalmente crescem no interior do útero começam a crescer fora do útero e dentro da pelve, próximas das trompas de Falópio e ao redor dos ovários. Estas pequenas células crescem ao longo do tempo e produzem substâncias químicas inflamatórias que podem causar inflamação e dor pélvica. Esta inflamação pode então levar a cicatrizes pélvicas e distorção da pelve que atrapalha a implantação e a fertilização. Estes pequenos implantes de células, bem como cicatrizes causadas por estes implantes nem sempre podem ser vistos por qualquer exame de imagem como o ultrassom, e eles são difíceis de identificar em um exame físico normal. Não há evidências de que possam ser vistas em algum exame de sangue.

O único modo conclusivo para identificar e diagnosticar endometriose é a realização de um determinado tipo de cirurgia que investiga a pelve para identificar essas áreas anormais com tecido cicatricial associado. Uma cirurgia minimamente invasiva através do umbigo, chamada de laparoscopia, normalmente é realizada para identificar a endometriose como causa da dor pélvica. Se a endometriose for identificada, estas áreas de inflamação podem ser removidas e as mulheres podem ter menos dor pélvica, mas a presença da endometriose pode contribuir para a infertilidade, mesmo depois da cirurgia.

Às vezes, a endometriose pode crescer dentro do ovário, criando um grande cisto que nós chamamos de endometrioma. Este é o único aspecto da endometriose que pode ser visto durante a ecografia, e se este tipo de cisto é visto, há uma preocupação maior de que outras áreas de endometriose podem estar presentes dentro da pelve.

 

Veja a relação da endometriose com a infertilidade.

O post Endometriose: o Conselho de um Médico sobre Viver Com uma Doença Dolorosa apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Teste de Fertilidade: Ciclo menstrual

Responder à essas questões vai ajudar você a analisar se o seu ciclo menstrual apresenta quaisquer anormalidades ou se o seu ciclo menstrual muda mês a mês. Você terá uma noção de se há ou não problemas afetando suas chances de engravidar.

 

Faça esse “Teste de Fertilidade: Ciclo Menstrual” para ver se o seu ciclo menstrual está afetando a sua fertilidade. Para poder completar corretamente esse teste você deverá conhecer o seu ciclo menstrual. É importante que você conheça bem o seu ciclo para ver se você tem quaisquer problemas com a sua fertilidade em detalhes, e entenda que a sua idade pode afetar a sua capacidade de engravidar.

O post Teste de Fertilidade: Ciclo menstrual apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Teste de Fertilidade: Relações Sexuais

Teste de Fertilidade

Sexo é um fator chave quando estamos tentando conceber um filho. Ao responder as perguntas no teste de fertilidade a seguir, você poderá avaliar a sua vida sexual e do seu parceiro. Responda à essas questões junto com o seu parceiro para descobrir como melhorar seus hábitos ou relações sexuais para o grande sucesso, quando se trata de conceber o seu filho.

Faça esse “Teste de Fertilidade: Relações Sexuais” para avaliar sua vida sexual em termos de fertilidade.

Muitos parceiros perdem a espontaneidade e a paixão em suas vidas sexuais quando estão tentando ter um filho. No entanto, é importante em qualquer relacionamento manter a diversidade e a intimidade, caso contrário, isso poderá causar um efeito na felicidade do casal e nas chances de engravidar.

 

O post Teste de Fertilidade: Relações Sexuais apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Teste de Infertilidade: Estilo de Vida

Você não pode ignorar o seu estilo de vida quando se trata de identificar possíveis fatores que podem estar afetando a sua fertilidade. Respondendo a este teste de fertilidade você irá descobrir quais hábitos e ações afetam a sua fertilidade (ou de seu parceiro), e como você pode mudar seu estilo de vida e tentar outras coisas para ajudar você a conceber.

Ao responder às questões desse quiz você entenderá os aspectos do seu estilo de vida que podem estar afetando a sua fertilidade.

O post Teste de Infertilidade: Estilo de Vida apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Engravida

Se você está procurando uma clínica para engravidar em São Paulo, a Fertilidade.org atua no tradicional Instituto Amato em São Paulo. Seu parceiro não a engravida? Ou você que não consegue engravidar? Há mais de um ano? Veja quando deve procurar o especialista em reprodução humana.

A equipe multiespecialidades oferece ampla gama de opções de tratamentos ginecológicos, sempre com o foco nos melhores resultados clínicos.

Atuando há mais de 33 anos, o tradicional Amato – Instituto de Medicina Avançado oferece as mais diversas especialidades para a saúde da mulher. Com atendimento qualificado, o hospital dia na Av Brasil 2283 é o local mais recente e moderno de atendimento. Além das consultas médicas, realizamos no próprio consultório exames de ultrassonografia ginecológica e obstétrica, exames de Papanicolaou, pesquisa do vírus HPV, inserção de DIU, implantes e cauterizações de lesões na região genital. A Dra Juliana Amato, líder da equipe trabalha como ginecologista, obstetra e atua na área da reprodução humana e em diversos hospitais como Hospital Albert Einstein e Pro Matre. Possuimos também centro cirurgico para procedimentos minimamente invasivos.
 

O post Engravida apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

4 Exercícios de meditação para enfrentar a quarentena

vascular.pro - Sun, 10/11/2020 - 22:32

A meditação é conhecida pelo seu efeito sobre a mente humana. Apenas uma ou duas sessões de meditação já bastam para sua mente ficar mais clara e calma. Aliás, algumas tradições religiosas usam a meditação como caminho espiritual — mas você não precisa seguir este caminho para meditar.

O autocontrole, autoconhecimento, concentração e relaxamento são elementos-chave da meditação. Dessa forma, ela trata ansiedade e nos mantém no presente. Isso é tudo o que você precisa para lidar com a quarentena.

Além disso, a meditação tem sido estudada e empregada no controle de dor crônica (1,2) e ansiedade. Tem se mostrado muito útil no controle do lipedema.

Veja algumas técnicas milenares de meditação!

1. Respiração consciente

A respiração consciente é a arma mais poderosa para enfrentar a quarentena. Aliás, o grupo de psicólogos da Eureka recomenda uma técnica bastante simples de respiração consciente. É um método poderoso para se acalmar em momento de ansiedade.

Veja o passo a passo para praticar a respiração consciente:

  1. Inspire o ar contando até 4.
  2. Segure o ar e conte até 2.
  3. Solte o ar e conte até 6.
  4. Repita o processo de novo.

Praticar essa modalidade de meditação vai fazer uma diferença enorme em sua vida. De fato, após dominá-la, ela servirá para retomar o controle em momento de ansiedade ou estresse.

Embora essa técnica seja para uso em momentos de ansiedade, praticá-la algumas vezes ao dia ajuda a ficar relaxado. Além disso, quanto mais você praticar, mais fácil será usar a técnica no momento certo.

O ideal é realizar essa técnica depois de acordar, antes do almoço e depois da janta. Realizar 30 contagens, totalizando 6 minutos de prática por sessão, já é o suficiente. Ao todo, você terá meditado quase 20 minutos no dia.

Entretanto, não se contente com pouco: aumente a quantidade de repetições durante as sessões. Foque em conseguir meditar pelo menos 40 minutos por dia. Com certeza você vai enfrentar a quarentena com mais atenção e leveza.

2. Caminhada com atenção

Este método é um pouco mais avançado que o anterior; portanto requer que você tenha dominado a respiração consciente.

A ideia da caminhada com atenção é trazer sua mente ao presente. Você já notou como é difícil se livrar de seus pensamentos? É uma tarefa impossível, diga-se de passagem. Nós precisamos lidar — e viver — com eles.

Durante a quarentena, por ficarmos demais enjaulados em casa, nossos pensamentos podem se voltar contra nós mesmos. Aliás, isso também acontece com a depressão e a ansiedade. É péssimo ficar preso em nossas cabeças às vezes, não é verdade?

Porém, note que seus pensamentos não são eventos reais. Além disso, a maior parte do que achamos que vai acontecer no futuro simplesmente não acontece. Então porque ficar vendo e revendo pensamentos sem sentido?

A prática da caminhada com atenção é bastante simples: escolha um local com poucas pessoas e apenas caminhe. No entanto, preste atenção em todos os detalhes: o som dos pássaros, a sensação de movimento, o contato com o solo e assim por diante. Sempre que sua mente divagar — e ela vai fazer isso várias vezes — apenas volte ao presente por meio das sensações.

3. Realize uma atividade por vez

Nossa mente é bombardeada a todo o momento por toneladas de informação. Além disso, nunca estamos realmente presentes no momento presente; mesmo quando estamos junto a quem amamos, checamos o celular toda hora ou nem escutamos com atenção o que o outro tem a falar.

Esse padrão de comportamento tende a gerar pensamentos confusos, os quais trazem a ansiedade. Assim, basta realizar uma atividade por vez para evitar esse problema.

Quando o lendário samurai Miyamoto Musashi foi questionado como sobre venceu tantos oponentes, ele respondeu: “Lutei com um de cada vez”. Essa frase faz parte dos ensinamentos do Budismo Zen, o qual é ótimo para vencer adversidades.

Como colocar isso em prática? Simples: quando estiver comendo, apenas coma; se for lavar a louça, apenas lave a louça; se vai brincar com seu filho, apenas brinque com seu filho. Qualquer coisa extra deve ser descartada. Só para exemplificar, comer olhando para a tela do celular (ou da TV) não é apenas comer — tem o extra do “olhar para a tela”.

Essa prática simples e profunda de atenção é sim um exercício de meditação. Aliás, é muito mais difícil do que parece. Quando você passar a prestar atenção aos seus pensamentos, com certeza vai ver a bagunça que eles são. Esse exercício coloca um pouco de ordem no caos.

4. Aquiete a mente com a meditação sentada

A meditação sentada é uma das formas mais poderosas de meditação. Shakyamuni Buda, o Buda histórico, realizou o despertar por meio dessa prática. Que bela referência, não é verdade?

Mesmo que você não esteja atrás do despertar espiritual, você ainda pode se beneficiar muito da meditação sentada. Aliás, a técnica descrita nas próximas linhas tem um nome específico: Zazen — aquela técnica que a Monja Coen e os demais budistas zen praticam.

Em resumo, você vai precisar de uma cadeira ou almofada e uma parede branca. Coloque o assento de frente para a parede e sente-se. Faça três respirações longas soltando o ar pela boca. Em seguida, continue respirando como de costume. Seus olhos devem estar quase fechados, focando em um ponto invisível na parede — mais ou menos na altura de seu estômago.

Respire com a parte de baixo da barriga. Além disso, não faça força na inspiração; controle apenas a expiração. Busque torná-la o mais longa possível. Formar o Mudra Cósmico com as mãos também é interessante.

Enquanto você estiver sentada olhando para a parede, o turbilhão de pensamento ficará visível. Vai ser um puxa-e-empurra danado, mas você deve voltar sempre às sensações da respiração. Além disso, quando um novo pensamento surgir, dê um título e uma descrição para ele: “Estou pensando em X e Y”.

Pronto, agora você já sabe como praticar uma meditação milenar e muito eficiente para o autoconhecimento. Só tem mais um detalhe: como o objetivo do Zazen é diminuir a atividade mental, os períodos de treino são longos, pois nossa mente precisa de tempo para se aquietar. O ideal é realizar sessões de 40 minutos.

Mantenha um horário reservado para a meditação. Assim você vai criar o hábito com facilidade. Após algum tempo você terá mais facilidade em meditar.

O post 4 Exercícios de meditação para enfrentar a quarentena apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categories: Medicina

Cigarro pode comprometer fertilidade feminina

O hábito de fumar está relacionado à diminuição da fertilidade feminina, alerta a Associação dos Ginecologistas e Obstetras de Minas Gerais, em ocasião ao Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado no próximo sábado, dia 31 de maio.

As centenas de substâncias nocivas do cigarro diminuem a oferta de oxigênio nos tecidos, inclusive dos ovários, comprometendo a qualidade dos óvulos. O tabaco também pode afetar a fertilidade masculina, diminuindo a qualidade do sêmen. Porém o efeito nocivo crônico é mais acentuado nas mulheres, porque o homem produz linhagens de espermatozóides a cada três meses, enquanto a mulher já nasce com os óvulos prontos.

Os malefícios do fumo podem atingir também os bebês. Os filhos de mulheres fumantes são geralmente menores e de baixo peso, pois têm o crescimento uterino prejudicado pelo fato de ter menos oxigênio e nutrientes. E são mais propensos a serem fumantes se a mãe fumou durante gestação.

Em relação à fertilidade feminina, quanto maior a exposição, maiores os danos, que podem se tornar irreversíveis. Estudos utilizando fertilização in vitro, por exemplo, indicam que as chances de sucesso da gravidez são maiores, por tentativa, entre as pacientes que não fumam.

Baseado nesses malefícios para a fertilidade e para o bebê, recomenda-se que as mulheres deixem de fumar durante o tratamento contra infertilidade e na gravidez, “mas o ideal é que larguem o vício para sempre”. 

O post Cigarro pode comprometer fertilidade feminina apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Dor muscular: como evitá-las e amenizá-las?

vascular.pro - Fri, 10/09/2020 - 14:36

A dor muscular é bastante presente na vida dos brasileiros. Uma pesquisa realizada pelo IBOPE e Advil apontou que 63% dos brasileiros têm dores musculares a cada três meses. Isso significa mais de 120 milhões de pessoas a cada trimestre.

No entanto, nem sempre as dores surgem por causa das atividades do dia a dia. Aliás, algumas delas podem significar doenças sérias, as quais precisam de atenção médica. Mulheres por volta dos 40 anos são as mais afetadas.

Portanto, nem sempre aquela dor nas pernas é causada pelo exercício físico; em alguns casos pode ser até um sintoma de doença crônica, como o lipedema. Além disso, varizes e úlceras venosas também causam dores nas pernas. Fique sempre de olho nos sintomas.

A melhor forma de lidar com a dor muscular é não a ter. De fato, existem várias formas de manter a saúde do organismo, o que acarreta em menos dores ao longo da vida.

Preparamos um conteúdo completo sobre dor muscular para você. Não deixe de conferir!

Dor nas pernas: cansaço ou varizes?

Depois de um dia longo de trabalho, é comum sentir algumas dores ao longo do corpo. Aliás, quando o trabalho requer muito deslocamento, as pernas são as que mais sofrem. Lojistas, repositores de estoque e promotoras de marcas estão sempre reclamando de dores nas pernas.

Porém, essa dor pode ocorrer mesmo sem realizar esforço algum. É aí que devemos ter cuidado. O mais comum, nesse caso, são as varizes — as famosas aranhinhas na perna.

Um dos sintomas desse problema aparece justamente no fim do dia: temos a sensação de pernas pesadas e cansadas. Mas somente essas sensações não rotula o problema como “varizes”: é importante identificar outros sintomas.

Em resumo, a variz fica estampada na pele. Ela pode tomar a formas de vasos em forma de teias ou aparecer como caroços. Ao notar qualquer uma das formações em sua pele, consulte um especialista o quanto antes.

Um erro comum de mulheres que sofrem desse mal é esperar até que novas varizes apareçam. No entanto, quando a segunda aparecer, a primeira já estará em um estágio mais avançado, o que dificulta o tratamento.

Por falar em tratamento, os mais comuns são cirurgia, laser e aplicação. Porém, há espaço para comprimidos e cremes, mas os recomendados são cirurgia e laser.

Não deixe a variz piorar, OK? Vá a um especialista ao notar algo fora do normal!

Sua dor muscular nas pernas pode ser um indício de úlcera venosa?

Como ficou claro no tópico anterior, nem sempre uma dor muscular é, de fato, uma dor muscular. Nesse sentido, ela pode estar relacionada a alguns problemas mais graves de saúde, e um deles é a úlcera venosa.

São estimados que 1,5% da população da Europa sofra desse mal durante a vida. É um verdadeiro problemão, não é mesmo?

Em resumo, uma úlcera venosa fica localizada próxima ao tornozelo e possui evolução lenta. Uma característica é a melhora da dor quando o membro é elevado; ela costuma ter uma piora durante a noite.

Os fatores que corroboram para essa doença são a obesidade, ficar muito tempo em pé ou sentado, ser sedentário e a idade. Além disso, as mulheres têm mais chances de sofrer com as úlceras. Os homens mais afetados são os que trabalham com aviação, ficam de pé parados ou sentados por muito tempo.

Outros fatores importantes incluem o sedentarismo, hábito de fumar, dieta pobre em nutrientes e histórico familiar. A úlcera pode ser ocasionada por causa de outras doenças como diabetes, aterosclerose, problemas nos tecidos das veias, trombose e até hipertensão venosa.

Para tratar a úlcera, o ideal é realizar movimentos com a perna. Não precisa se esforçar muito: apenas movimentar os pés já ajuda bastante. Além disso, mantenha o membro elevado o máximo possível. Usar meias elásticas também é bastante recomendado.

Você corre o risco de ter lipedema?

Outra condição que causa dor nas pernas, mas que não está relacionada com os músculos é o lipedema. Todavia, vale ressaltar que até os profissionais da saúde têm dificuldade na hora de diagnosticar essa doença. Não seja precipitada ao ler sobre os sintomas, OK?

Um dos principais sintomas do lipedema é a formação de “pilares” de gordura nas pernas. Além disso, “pochetes” de gordura também ficam localizadas nos quadris e nas nádegas. Essas formações apresentam dor ao toque ou quando pressionadas. O uso de roupas apertadas se torna impossível, em alguns casos.

Ninguém sabe ao certo o que causa essa condição. Porém, como as mulheres são maioria, especialistas acreditam que possa haver relação com hormônios. Via de regra, a doença aparece na menopausa, gravidez ou até no fim da puberdade. Há indícios de que fatores genéticos também contribuem para o surgimento da doença.

A melhor forma de prevenir esse mal é com atividade física. Pessoas com casos na família devem praticar pelo menos 45 minutos de esportes, de preferencia aquáticos, 3 vezes por semana. O uso de roupas de compressão é indicado.

Para quem já sofre com a doença, a higiene e hábitos saudáveis são vitais. Mantenha a pele limpa e, se achar necessário, use cremes de pH neutro. Evite roupas apertadas, sutiã, saltos e cintos.

Como amenizar dor muscular em geral?

Com exceção das doenças descritas anteriormente — e algumas outras mais raras —, a dor muscular é causada pela má postura, atividade física intensa e prática de esporte. Aliás, a dor pode durar alguns dias após sua causa, pois há inchaço no músculo lesionado.

O mais recomendado é fazer o famoso tratamento RGCE:

  •       Repouso: O repouso deve ser feito para que o músculo se recupere da lesão. Além disso, sempre que forçar a parte dolorida, repouse por um tempo.
  •       Gelo/Calor: A causa da dor é o inchaço nos músculos, portanto, o gelo é seu maior aliado analgesico e o calor o melhor antiinflamatório natural. O ideal é manter o gelo por cerca de 15 minutos sobre o músculo lesionado.
  •       Compressão: Usar uma cinta de compressão limita os movimentos, ou seja, impede que a lesão fique mais dolorida.
  •       Elevação: Por fim, mantenha a parte dolorida elevada. Isso alivia o inchaço e diminui a dor muscular.

Lembre-se de manter uma dieta balanceada. Comer de tudo um pouco torna nosso corpo mais resistente e saudável. Aliás, também ajuda a aliviar algumas dores. Por fim, pratique exercícios físicos com regularidade. Essa é a melhor forma de evitar a dor muscular.


Assine o melhor canal de saúde no Youtube

 


Assine o melhor canal de saúde no Youtube

O post Dor muscular: como evitá-las e amenizá-las? apareceu primeiro em Vascular.pro.

Categories: Medicina

Problemas de fertilidade – Visão geral do tratamento

Alguns problemas de fertilidade são tratados mais facilmente do que outros. Em geral, quando uma mulher envelhece, principalmente após os 35 anos de idade, as chances de engravidar caem. E as chances de aborto espontâneo sobem.

Se você tem 35 anos ou mais, seu médico pode recomendar que você ignore algumas das etapas que os casais mais jovens costumam passar, às vezes indo para tratamentos mais objetivos. Isso porque suas chances de ter um bebê diminuem a cada ano que passa.

É importante entender que mesmo se você for capaz de engravidar, nenhum tratamento pode garantir um bebê saudável. Por outro lado, cientistas neste campo tem feito muitos avanços que têm ajudado milhões de casais a terem bebês.

Tome tempo para planejar

Antes de você e seu parceiro iniciarem o tratamento, fale sobre até onde você quer ir com o tratamento. Por exemplo, você pode querer tentar o tratamento clinico hormonal, mas pode não querer fazer cirurgia. Obviamente você pode mudar sua mente durante o tratamento, com as informações adquiridas, mas é bom começar com uma ideia de quais seriam seus limites.

Tratamento para fertilidade também pode custar muito. E o convênio médico muitas vezes não cobre essas despesas, às vezes consegue-se o reembolso de consulta e alguns exames. Se o custo é uma preocupação para você, pergunte quanto ao custo dos medicamentos e procedimentos. Em seguida, descubra se o seu convênio cobre todos os custos. Converse com seu parceiro sobre o quanto vocês podem pagar.

Pensar sobre isso antes do tempo pode ajudar a evitar que você seja emocionalmente e financeiramente drenada ao tentar uma série de tratamentos que você não tinha planejado.

Infertilidade: Devo fazer tratamento? Tratamento inicial Tratamento para a mulher

Tratamentos para problemas de fertilidade em mulheres depende do que pode estar impedindo a mulher de engravidar. Às vezes a causa não é conhecida.

  • Problemas com ovulação. O tratamento pode incluir tomar medicamentos, tais como:
  • Infertilidade inexplicável. Se seu médico não consegue descobrir por que você e seu parceiro ainda não conseguiram engravidar, o tratamento pode incluir:
  • Trompas bloqueadas ou danificadas. Se suas trompas de falópio estão bloqueadas, o tratamento pode incluir cirurgia das trompas.
  • Endometriose. Se de leve a moderada, a endometriose parecer ser a principal razão para a sua infertilidade, o tratamento pode incluir cirurgia por laparoscopia para remover o crescimento do tecido endometrial. Este tratamento não pode ser uma opção se você tiver endometriose grave. Para obter mais informações, consulte o tópico Endometriose.
Tratamento para o homem

Seu médico pode recomendar que você primeiro tente a inseminação. Os espermatozoides são coletados e concentrados para então aumentar o número de espermatozoides saudáveis para inseminação.

Quando os tratamentos iniciais não funcionam

Muitos casais que têm problemas para engravidar chegam a um ponto em comum: eles precisam decidir se querem tentar a tecnologia de reprodução assistida (TRA).

Para saber mais, consulte os Tratamentos de Infertilidade.

Se você já não pensou sobre adoção, esse pode ser um momento para pensar sobre isso. Alguns casais decidiram neste momento gastar seus recursos em adoção ao invés de FIV. Outros casais viram a FIV como a melhor opção.

Clínicas de tratamento de fertilidade

Clínicas de Tratamento de Fertilidade não estão amplamente disponíveis em algumas partes do país, especialmente nas zonas rurais e distantes de grandes centros. Talvez você precise viajar para fazer o tratamento. Recebemos pacientes de todo o Brasil, e do exterior.

Ao analisar as taxas clínicas de sucesso, esteja ciente de que clínicas para tratamento de problemas de fertilidade mais graves podem ter taxas mais baixas de sucesso. Então é possível que uma clínica com uma menor taxa de sucesso tenha maior autoridade global que clínicas com maiores taxas de sucesso.

A taxa de sucesso de uma clínica é influenciada por muitas coisas, incluindo o laboratório utilizado, as habilidades dos médicos, a experiência e a causa ou causas do seu problema de fertilidade.

Quando você analisar taxas de sucesso do tratamento, lembre-se que as taxas de natalidade são sempre inferiores a ovulação e taxas de gravidez. Abortos são comuns entre todas as mulheres. Mas eles são mais prováveis em mulheres com fatores de risco tais como idade ou condição crônica de saúde mal controlada.

O post Problemas de fertilidade – Visão geral do tratamento apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Congelando sêmen, óvulos ou embriões antes do tratamento de câncer

Sêmen, óvulos ou embriões podem ser congelados e armazenados para possível utilização no futuro. Isso é conhecido como criopreservação. Criopreservação de espermatozoides, óvulos ou embriões pode ser uma opção possível para as pessoas que foram diagnosticadas com câncer, se o tratamento do câncer é provável de causar infertilidade.

Se você for diagnosticado com câncer, você deve ter a oportunidade de discutir o seu diagnóstico e o efeito do tratamento do câncer sobre a sua fertilidade, tanto com a sua equipe do câncer quanto com um especialista em fertilidade.

A decisão de congelar alguns espermatozoides, óvulos ou embriões depende de várias coisas, incluindo o tipo de câncer que você tem, seu plano de tratamento e quão rápido seu tratamento precisa começar. Sua equipe de saúde também deve levar em conta se o tratamento futuro da fertilidade tem boa probabilidade de ser bem-sucedido, e se a amostra armazenada ainda será utilizável quando você precisar dela. Você deve ser capaz de ter sua amostra congelada e armazenada por pelo menos 10 anos.

Os critérios para ter tratamentos de fertilidade que foram descritos ao longo deste outros artigos não se aplicam a pessoas que foram diagnosticadas com câncer e desejam usar criopreservação para preservar sua fertilidade. No entanto, se você precisar usar sua amostra congelada no futuro, estes critérios poderão ser aplicados.

Sêmen

Se você é um homem ou adolescente, você deve ser capaz de produzir uma amostra de sêmen congelado antes do seu tratamento de câncer começar. O armazenamento do seu espermatozoide deve continuar por mais de 10 anos se você ainda estiver em risco de problemas de fertilidade após este período.

Óvulos e embriões

Mulheres (e meninas adolescentes, se apropriado) que estão bem o suficiente para fazer estimulação ovariana e coleta de ovos devem ser indicadas para armazenamento de óvulos ou embriões, dependendo do que for mais adequado, antes do início do tratamento.

Você e sua equipe de saúde devem discutir se há tempo suficiente para fazer esse procedimento antes de iniciar o tratamento para o câncer (o processo de coleta de óvulos pode levar várias semanas), levando em consideração se ele pode piorar sua condição ou sua expectativa.

O post Congelando sêmen, óvulos ou embriões antes do tratamento de câncer apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Perguntas para serem feitas

Estas perguntas podem ajudá-la a discutir sua condição ou os tratamentos que foram oferecidos junto com seu médico especializado em reprodução humana. Abaixo algumas idéias de perguntas que podem surgir para serem feitas no momento da consulta inicial. A maior parte das perguntas já foram respondidas aqui no site, e algumas delas são bem personalizadas e só podem ser respondidas em consulta, mas é sempre bom ouvir o especialista.

Problemas de Fertilidade

Exames de Fertilidade

Tratamentos

Geral

  • Pode me dizer por que você decidiu me oferecer esse tipo específico de tratamento?
  • Quais são os prós e contras deste tratamento?
  • O que isso irá envolver?
  • Existe algum risco associado a este tratamento?
  • Quais são minhas opções para fazer tratamentos diferentes daqueles que me ofereceram?
  • Há mais algumas outras informações (como um folheto, DVD ou um site que eu possa acessar) sobre o tratamento que eu posso fazer?

Tratando as causas de problemas de fertilidade

  • Eu sou incapaz de ejacular: pode explicar as opções de tratamento disponíveis para me ajudar?
  • Eu tenho um distúrbio de ovulação: você pode explicar que tipo de tratamento de indução de ovulação seria mais adequado para mim?
  • Quais são minhas chances de ter uma gravidez múltipla com este tratamento?
  • Você pode explicar mais sobre a perfuração ovariana laparoscópica e se isso pode me ajudar?
  • Se eu tenho endometriose posso ainda engravidar naturalmente? Quais são as opções de tratamento para me ajudar?
  • Existe algum tratamento para infertilidade inexplicável que podemos tentar?

Inseminação intra-uterina

  • Se a contagem de espermatozoides do homem é baixa a IIU nos ajudaria a engravidar?
  • Você pode explicar mais sobre os procedimentos envolvidos na utilização de espermatozoides de um doador para IIU?

Tratamento de FIV

Congelamento de sêmen, óvulos e embriões

O post Perguntas para serem feitas apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Anatomia da Reprodução Humana

Os diversos órgãos do corpo humano que atuam na concepção e na gestação. Cada um desses órgãos podem estar relacionados a alguma causa de infertilidade e terá um tratamento específico na reprodução humana.

Na Mulher:

No Homem:

O post Anatomia da Reprodução Humana apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

A vagina

A vagina (do latim vagĭna, lit. “bainha”) é um canal do órgão sexual feminino dos seres humanos, parte importante do aparelho reprodutor feminino, que se estende do colo do útero à vulva. A cada lado da abertura externa da vagina humana há duas glândulas pequenas, chamadas Glândulas de Bartholin, secretoras de um muco lubrificante na copulação.

A parte de fora da vulva é denominada vestíbulo vaginal. Lá existem dois orifícios: orifício urinário (uretra) e o orifício genital (vagina).

A função reprodutiva da vagina consiste em receber o pênis no coito e dar saída ao feto no momento do parto, além de expulsar o conteúdo menstrual. A vagina é inicialmente protegida somente pelo hímen, uma membrana fina com algumas perfurações que permitem a saída do sangramento menstrual. Sendo o hímen normalmente rompido na primeira relação sexual, causando um pequeno sangramento.

Relação da vagina com a infertilidade

Secreção vaginal alterada está entre os sintomas de doenças sexuais e de inflamações perigosas, que podem estar associadas à causas de infertilidade.

Em casos onde a secreção é resultado de alguma doença sexualmente transmissível (DST), a doença mais comum é a tricomoniase, que provoca um cheiro muito forte e um corrimento de cor meio amarelada e meio verde, sendo causada por um protozoário. O tratamento é feito à base de antibióticos orais, para o casal. Mas o perigo maior está no fato da mulher contrair clamídia, que causa infertilidade: doença que quase não apresenta sintomas, mas pode provocar grave infecção uterina, chamada de cervicite, que atinge as trompas e causa obstrução tubária.

Uma consequência da candidíase é a alteração do pH vaginal, sendo que isso ocasionalmente pode ocasional um ambiente hostil para os espermatozoides. Além disso, durante o tratamento com uso de antifúngicos e cremes vaginais, os espermatozoides terão ainda mais dificuldades de movimentação para chegar ao óvulo. Após o tratamento da candidíase, qualquer dificuldade que poderia estar dificultando a gravidez terá desaparecido.

O vaginismo é uma outra condição que dificulta a concepção:  os músculos vaginais de uma mulher se contraem involuntariamente, sempre que qualquer abordagem é feita em sua vagina. Este espasmo é muitas vezes tão doloroso que a relação sexual é impossível, e essa condição às vezes dura por anos. É uma dificuldade sexual mais comum do que se imagina e pode afetar as relações afetivas de suas portadoras. De todas as disfunções sexuais é, em alguns casos, uma das mais fáceis de se resolver pois o tratamento é através de técnicas físicas que a própria paciente pode fazer com a orientação médica adequada.

 

veja também: como o espermatozóide chega ao óvulo


Assine o melhor canal de saúde no Youtube

O post A vagina apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Problemas de Fertilidade

Cerca de 1 em cada 7 casais heterossexuais no Reino Unido procuram aconselhamento em algum momento de suas vidas por terem dificuldades em engravidar *, o que não é muito diferente do Brasil. O tempo que leva para conceber naturalmente varia e a idade pode ser um fator importante: ambas as fertilidades, das mulheres e (em menor grau) dos homens gradualmente declinam conforme eles envelhecem.

Uma mulher pode ter problemas de fertilidade pelo fato de seus ovários não produzirem óvulos regularmente, ou porque suas trompas de Falópio estão danificadas ou bloqueadas e o espermatozoide não consegue chegar até os óvulos. Nos homens, um problema de fertilidade geralmente ocorre devido ao baixo número ou a má qualidade do espermatozoide. Para até um quarto das pessoas, nenhuma razão pode ser encontrada para os seus problemas de fertilidade. Isso é chamado de infertilidade inexplicável (sem causa aparente).

 

*NHS

O post Problemas de Fertilidade apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Indicações para tratamento da infertilidade


Assine o melhor canal de saúde no Youtube


[Transcrição]

Eu sou Juliana Amato, eu sou especialista em ginecologista obstetrícia e reprodução assistida. Hoje nós vamos falar sobre infertilidade, as orientações para quais pessoas devem procurar o tratamento ou o especialista. Quem deve procurar o tratamento são os casais que estão há 1 ano em tentativa de engravidar, as mulheres com mais de 35 anos que não tem o desejo de engravidar por agora ou que estão tentando engravidar a partir de agora, e os pacientes que tem algum tipo de doença como o câncer que deverá ser feito a preservação da fertilidade. Os casais que estão há um 1 ano sem engravidar, deverá ser feito uma avaliação do casal para saber qual que é a causa mais provável de infertilidade, se é masculina ou se é feminina. A causa mais comum de infertilidade das causas femininas são as anovulatórias a falta de ovulação e nas causas masculinas é as azoospermia ou alguma alteração do espermograma. Pacientes acima de 35 anos, sabe-se que com 35 anos a nossa fertilidade ela dá uma decaída, porque a mulher ela nasce com número de óvulos que ela vai gastar ao longo de sua vida, quando ela menstrua a primeira vez ela começa a gastar esses óvulos, a depletar esses óvulos e com 35 anos se vê que essa queda de óvulos se acentua cada vez mais então, ela tem uma quantidade diminuída e se ela quiser ter um filho ou mais, ela tem que pensar numa primeira gravidez antes dos 35 anos. E as pacientes que estão em tratamento de câncer tanto de ovário quanto câncer de mama tem que ser orientadas a preservação da fertilidade, elas vão ter que fazer uma quimioterapia então, elas precisam preservar os seus óvulos, ou seja, congelar

O post Indicações para tratamento da infertilidade apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Fundamentos sobre a Fertilidade – Reprodução Humana

A reprodução natural humana é um processo tão complexo e espetacular que parece miraculoso que a gravidez ocorra tão frequentemente como ocorre. As três principais fases da reprodução humana, como explicitadas abaixo, são: Ovulação, Fertilização e Implantação. 

 

 

O DNA é uma molécula comprida e espiralada, que se localiza no núcleo celular, nele está “escrita” toda a informação necessária para que a célula execute bem sua função, assim como um programa de computador. Se a célula é o computador, o DNA é o disco rígido de informações que dará a instrução para que ela funcione como um computador conectado numa rede muito maior; se a célula é do músculo, a instrução é para que ela funcione como uma célula muscular.
A molécula de DNA se assemelha a uma escada espiralada: há um corrimão de cada lado e degraus ligando esses corrimãos. Os degraus são a parte variável do DNA, representados pelas letras A, T, G e C – que são os compostos orgânicos adenina, timina, citosina e guanina, respectivamente. Estas substâncias estão em uma sequência que somente a célula consegue ler e cada uma recebe o nome de gene. Para que a leitura seja feita corretamente, a célula envia uma cópia do gene para fora do núcleo sob a forma de RNA.
No citoplasma existem elementos (os ribossomos) capazes de fazer a leitura do RNA e quando isto acontece dizemos que o gene está se expressando, pois o gene expressa sua informação por meio do RNA. Vários genes podem ser lidos ao mesmo tempo. A partir do conjunto de informações que essa leitura fornece, formam-se várias características, como cor do cabelo, forma do rosto, tamanho do corpo, cor dos olhos, propensão à certas doenças e muito mais. Estas características recebem o nome de fenótipo.
Por causa do seu grande comprimento, o DNA precisa se enrolar até ficar bem “apertado” para caber na célula, formando uma estrutura chamada cromossomo. Cada espécie de ser vivo possui um número de cromossomos, e o ser humano possui 46. Metade dos cromossomos, 23, vem da mãe e a outra metade é fornecida pelo pai. E é aí que entra a maravilha da reprodução humana: a mistura de dois seres formando um terceiro diferente.
Nos órgãos reprodutivos femininos (ovários) e masculinos (testículo) existem células especializadas em gerar gametas (células que possuem 23 cromossomos, ou seja, apenas metade dos 46) chamadas de óvulo e espermatozóide. A meiose é o processo pelo qual uma célula com 46 cromossomos produz outras com 23 cromossomos.
Quando óvulo e espermatozóide se unem dentro do útero forma-se o zigoto (com 46 cromossomos), que é a nossa primeira célula. O ser humano unicelular. Assim que gerado, o zigoto começa a se multiplicar, produzindo outras células idênticas. Para que uma célula produza duas, ela deve, em primeiro lugar, duplicar todas as estruturas existentes em seu interior, inclusive o DNA. Replicação é o nome do processo no qual o DNA se autoduplica, e, com a mitose ocorre a duplicação da célula inteira.
Depois de todo esse processo as células começam a formar diferentes tipos de órgãos: pele, nervos, músculo, ossos, intestino, rim, etc. Quando o organismo está completo, após se desenvolver e crescer de tamanho, chega o momento do nascimento.
 

Fonte: Amato, JLS. Em Busca Da Fertilidade. 2014

O post Fundamentos sobre a Fertilidade – Reprodução Humana apareceu primeiro em Fertilidade.org.

Categories: Medicina

Pages

Subscribe to Orientação Médica - Perder Peso aggregator