Feed aggregator

Embolização de miomas

vascular.pro - Thu, 05/11/2017 - 01:39
Embolização de miomas

O tratamento de miomas uterinos por via endovascular, com a técnica chamada de embolização uterina visa a obstrução das artérias nutridoras. É um procedimento seguro, que oferece uma recuperação bem mais rápida para as pacientes. Foi descrito pela primeira vez em 1995 por um ginecologista francês e é realizado por especialistas em cirurgia endovascular e radiologia intervencionista.

Os critérios para indicação da cirurgia e regras para a liberação dos convênios foi bem estabelecida pela ANS.

 

 

Se você é médico e deseja se informar sobre a embolização de miomas, a equipe Vascular.pro criou um curso médico online gratuito sobre a embolização de miomas.

!function(f,b,e,v,n,t,s){if(f.fbq)return;n=f.fbq=function(){n.callMethod? n.callMethod.apply(n,arguments):n.queue.push(arguments)};if(!f._fbq)f._fbq=n; n.push=n;n.loaded=!0;n.version='2.0';n.queue=[];t=b.createElement(e);t.async=!0; t.src=v;s=b.getElementsByTagName(e)[0];s.parentNode.insertBefore(t,s)}(window, document,'script','//connect.facebook.net/en_US/fbevents.js'); fbq('init', '617007545111529'); fbq('track', 'PageView'); miomaembolizaçãoendovascularginecologiaútero
Categories: Medicina

O que é derrame?

vascular.pro - Thu, 05/11/2017 - 01:36

O derrame é para o cérebro o que o infarto é para o coração. Em ambas as situações uma artéria que irriga o órgão, levando nutrientes para ele, é obstruída, causando o sofrimento de suas células pela falta de oxigênio em um processo chamado isquemia, que pode levar a morte e a perda do tecido.

Veja seu risco de ter doença carotídea.


Esse evento no cérebro é chamado acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico (AVE) e é a principal causa de morte no Brasil. Existem dois tipos de derrame: o isquêmico (a maioria dos casos) e o hemorrágico. Este último é causado pelo sangramento de uma artéria (normalmente uma artéria que tem uma porção dilatada, isto é, um aneurisma). O sangue preenche o espaço que recobre o tecido nervoso, aumentando a pressão sobre ele. São condições associadas ao AVC hemorrágico o tabagismo, a pressão alta, o alcoolismo e algumas doenças genéticas. O evento pode ser desencadeado por esforço físico e se manifesta subitamente com forte dor de cabeça, vômitos e sonolência, podendo levar ao desmaio. É possível também que a pessoa apresente dificuldade de encostar o queixo no peito, como acontece na meningite. Essa é uma situação de emergência, que necessita de atendimento médico imediato.
Já o AVC isquêmico é causado pela obstrução de uma artéria que irriga o cérebro. Essa obstrução pode resultar da presença de uma placa de aterosclerose nessa mesma artéria ou em artérias distantes, ou da presença de trombos no coração. Mas como uma placa distante pode obstruir um vaso dentro do cérebro? Isso acontece por meio de êmbolos. 
O êmbolo é um pedacinho de um trombo ou restos de uma placa, presente em alguma outra parte do corpo, que se soltou e percorreu os vasos sanguíneos até alcançar o cérebro. O trombo inicial pode estar presente no coração ou em alguma outra artéria. Ele se forma em cima de placas de aterosclerose presentes nos vasos ou se forma devido à presença de determinados tipos arritmia do coração.
O derrame pode se manifestar de diferentes formas, dependendo de qual parte do cérebro não está mais recebendo sangue e oxigênio. O paciente pode não conseguir mexer os braços, apresentar dificuldade para falar, não conseguir sorrir, ter sensações estranhas do tipo formigamento nos membros, não conseguir caminhar, sentir tontura (“leveza”), os olhos podem desviar para os lados, as pálpebras podem ficar caídas. Pode ser que somente um desses sintomas esteja presente, entre outros possíveis. Essa também é uma situação de emergência, necessitando de atendimento médico imediato.
Nem sempre o evento pode ser evitado, mas manter um estilo de vida saudável com a prática regular de atividade física, uma alimentação balanceada e evitar o tabagismo, assim como manter sob controle outras doenças como pressão alta e diabetes, ajudam na prevenção da doença aterosclerótica e, consequentemente, do derrame.

 

avcderrameaterosclerose
Categories: Medicina

Coito Programado

Como fazer tratamento para engravidar? Qual tratamento para engravidar? São tantas as perguntas, mas cada uma no seu tempo.

Coito Programado

Sexo programado é o primeiro procedimento indicado para tratar a infertilidade

Após os exames para diagnóstico da infertilidade, em alguns casos o coito (sexo) programado é o primeiro procedimento indicado para tratar a infertilidade. O coito programado é um tratamento de baixa complexidade em reprodução assistida. Geralmente é recomendado para casais onde a mulher possui trompas normais e o parceiro apresenta o sêmen também normal. Consiste em realizar uma indução de ovulação com acompanhamento ultrassonográfico.

 

Durante o período ovulatório o casal é orientado a ter relações sexuais com maior freqüência. O tratamento consiste em acompanhar de perto o ciclo menstrual da mulher, monitorando a ovulação por meio de exames de ultrassom seriados e dosagens dos níveis de hormônios no sangue e na urina. Em alguns casos, estimulam-se os ovários com medicamentos com o objetivo de aumentar a precisão do dia fértil.

 

 

Autor: Dra. Juliana Amato

Leia também:

Fonte: Amato, JLS. Em Busca Da Fertilidade. 2014

coito programadotratamentoorientaçãoLocal do corpo: Aparelho reprodutor femininoTipo de procedimento: NoninvasiveStatus: Bem definido
Categories: Medicina

Os principais tratamentos para infertilidade

Qual o melhor tratamento para engravidar?

FIV

Fertilização in vitro

Fertilização in vitro - FIV - o bebê de proveta

Inseminação intra Uterina

IUI Inseminação intra uterina

       Existem diferentes opções de tratamento para o casal infértil. Um casal é considerado infértil quando, após um ano de tentativas frequentes para engravidar, elas não são bem-sucedidas. Neste momento, deve-se procurar ajuda médica para investigar as causas desta infertilidade e conhecer as opções de tratamento disponíveis. Como a infertilidade pode ter diferentes causas, é natural que cada uma delas seja conduzida de uma determinada forma e que sejam oferecidos diferentes tipos de tratamento.

         Uma das opções de tratamento disponíveis atualmente é a inseminação artificial, que permite a colocação dos espermatozoides (contidos no líquido seminal ou sêmen do homem) diretamente no útero da mulher, aumentando as chances de encontro entre essas células masculinas e o óvulo feminino. O sêmen pode ser depositado no fundo da vagina ou diretamente intraútero. Para tornar-se mais receptiva aos espermatozoides, a mulher passa por um tratamento medicamentoso que induz a sua ovulação. Fica fácil supor que a injeção do esperma diretamente no útero tem maiores chances de sucesso do que a injeção no fundo da vagina, uma vez que o primeiro caso diminui parte do caminho a ser percorrido pelos espermatozoides à procura do óvulo.

         Outra opção de tratamento para esses casais é a fertilização in vitro. Diferentemente da inseminação artificial, o encontro entre o óvulo e o espermatozoide neste caso acontece fora do corpo da mulher, no laboratório, e o embrião resultante é colocado no útero para que possa se desenvolver de forma saudável. Também neste caso é importante preparar a mulher para receber o embrião e promover o seu desenvolvimento.

         Algumas vezes, basta a indução da ovulação com medicação para que o casal consiga efetivamente engravidar, em outros casos faz-se necessário um procedimento cirúrgico. Mas tudo isso vai depender  de qual é o obstáculo que impede a gestação, bem como a identificação de qual é o momento no processo da concepção em que há erro.

         É imprescindível que o casal infértil procure auxílio médico para que possam juntos buscar a solução que melhor se adapte aos seus interesses e às suas necessidades. A medicina hoje possibilita que casais com dificuldade para engravidar por diferentes motivos, assim o façam, mas somente após diversos cuidados realizados pelo médico especialista, pois ele pode não somente orientar sobre a qualidade de vida necessária para permitir a gestação, como também oferecer o que está ao seu alcance para realizar o sonho do casal que deseja ter filhos.

 

Tratamentos:

 

Autor: Dra. Juliana Amato

Fonte: Amato, JLS. Em Busca Da Fertilidade. 2014

 

tratamentoinfertilidadefertilidadefivengravidarLocal do corpo: ÚteroTipo de procedimento: NoninvasiveStatus: Diversos
Categories: Medicina

10 Mitos Sobre As Varizes

vascular.pro - Mon, 05/08/2017 - 16:08

Varizes são vasos sanguíneos levantados, grandes, inchados, tortuosos (que se torcem) e podem ser vistos através da pele. As varizes são uma condição comum, com 3 milhões de novos casos todos os anos nos Estados Unidos e com cerca de 25 por cento dos adultos sendo afetados (dependendo dos critérios até bem mais). Apesar do seu aspecto comum, muitas pessoas não estão familiarizadas com o quão problemáticas elas podem ser, o que as causa, e quem as adquire. Aqui, vamos repassar alguns mitos que cercam as varizes e esclarecer as coisas.
MITO: As varizes são apenas um problema cosmético
As pessoas tem muitas vezes a impressão de que as varizes são apenas um problema estético e, portanto, não necessitam de intervenção médica. Embora nem todo mundo vá experimentar outros sintomas, há um número significativo de pacientes que os desenvolvem. Os sintomas incluem cãimbras, sensação de peso, dores, inchaço e desconforto nas pernas. Você também pode experimentar pele seca e coceira perto das varizes. Varizes também te colocam em risco de formação de trombose venosa profunda. Sintomas menos comuns incluem a mudança de cor e espessamento da pele, úlceras e hemorragias. Qualquer dano de pele provocado por varizes é permanente. Portanto, se você tem varizes, é importante que você converse com seu médico sobre o tratamento venoso.
MITO: As varizes são inevitáveis
Algumas pessoas têm a impressão de que todo mundo tem varizes conforme ganha idade, e que apenas idosos ganham varizes. No entanto, enquanto o envelhecimento faz as varizes piorarem, nem todo mundo vai adquiri-las. Além disso, pessoas mais jovens também podem ter varizes. A principal causa das varizes é genética, então se você tem um membro da família com varizes, é mais provável que você vá desenvolvê-las e o tratamento precoce pode evitar as formas graves e avançadas da doença. Além disso, fatores hormonais, como gravidez e pílulas anticoncepcionais podem piorar as varizes. Elas não têm nada a ver com a idade.
MITO: Apenas mulheres tem varizes
As varizes são mais comuns em mulheres; no entanto, os homens também podem tê-las. Cerca de 25 por cento das mulheres lidam com varizes, enquanto aproximadamente 10% dos homens o fazem. Os homens às vezes tem receio de investigarem ou passarem o cirurgião vascular por pensarem em varizes como "problema de mulher". É um problema de saúde que faz com que homens e mulheres precisem de consulta com um profissional médico.
MITO: As varizes são causadas por correr demais
Há uma percepção de que correr faz com que se ganhe varizes. Na realidade, o exercício é algo positivo para as suas veias porque estimula o seu curso de circulação e melhora a principal bomba sanguínea periférica. Quando você caminha ou corre, faz seu músculo da panturrilha bombear mais sangue. Se você tem varizes e é um corredor, é vantajoso usar meias de compressão para evitar que seu sangue acumule. Além disso, após o exercício, é aconselhável elevar suas pernas.
MITO: As varizes podem sempre serem vistas
Enquanto você pode perceber as varizes bem debaixo da pele, elas também ocorrem mais profundamente no corpo, onde não podem ser vistas.  Por exemplo, se há tecido adiposo entre sua pele e músculo, você não poderá ver varizes por baixo. Varizes superficiais são apenas uma parte do quadro.
MITO: As varizes são causadas por ficar em pé o dia todo
Algumas pessoas acreditam que, se você tem um trabalho em que você necessita ficar em pé o dia todo, é mais propenso a desenvolver varizes, mas isto não é necessariamente verdade. Enquanto pessoas que ficam o dia todo em pé, tais como comissárias de voo, podem se sentir mais incomodadas por suas varizes, ficar em pé por muito tempo não foi provado como causa de varizes, e sim agravante e sintomático. Os sintomas são apenas mais aparentes se você está parado.
MITO: Não há nenhum ganho em fazer mudanças no estilo de vida
Se você tem varizes, existem algumas mudanças de estilo de vida que você pode fazer para aliviar seus sintomas. Por exemplo, a obesidade piora as varizes; Se você é obeso, perder peso pode ajudar a reduzir os sintomas das varizes. Além disso, tornar-se mais ativo pode ajudá-lo com suas varizes porque melhorará a sua circulação. Outros passos que você pode tomar para aliviar os sintomas de varizes incluem usar meias de compressão, elevar as pernas e o fortalecimento de suas panturrilhas.
MITO: Você precisa de cirurgia para tratar as varizes
No passado, a única opção de tratamento para varizes era a remoção cirúrgica, uma cirurgia para remover as veias do corpo. Agora, você tem muitas opções de tratamento minimamente invasivas, tais como a ablação com laser endovenoso e ablação térmica por radiofrequência, ambas as quais oferecemos no nosso centro de Cuidados Avançados para Veias. Estes tipos de procedimentos tratam varizes, mas não exigem muito tempo de recupertação, permitindo-lhe voltar para sua vida tão logo quanto possível.
MITO: As varizes são curáveis
Infelizmente, as varizes não são curáveis. Elas são tratáveis, mas podem reaparecer após o tratamento. Felizmente, o tratamento para varizes é eficaz em aliviar os sintomas e diminuir a sua aparência, então vale a pena investir no tratamento. Mas fique ciente de que elas podem reaparecer depois de algum tempo. O que nada impede de continuar o tratamento.

Tags: varizesvenosoveiavasinhos
Categories: Medicina

Não É Um Rompimento: Por Que Você Deve Deixar Seu Ginecologista Obstetra Por Um Médico de Fertilidade

Especialista em Reprodução Humana

Se você está tendo problemas ao tentar engravidar ou suspeita que você tenha problema de infertilidade, você deve estar se perguntando qual médico é o certo para você: seu Ginecologista & Obstetra (que te acompanha há muito tempo), um Endocrinologista ou Especialista em Reprodução Humana (médico de fertilidade). São muitas as dúvidas antes de fazer a ligação e marcar a consulta com o médico de fertilidade: "por que eu não posso só trabalhar com meu ginecologista e tomar Clomid?" ... "Ok, sei que podemos fazer isso!" ... "Pensar em uma clínica de fertilidade é intimidante!" ... "Isso significa que preciso fazer fertilização in vitro?" ... "O médico de fertilidade vai saber como nos tratar!"

Atuais orientações médicas afirmam que as mulheres acima de 35 anos que tenham tentado engravidar há 6 meses com relações sexuais regulares (a cada 2 dias), mas que não ficaram grávidas OU mulheres com idade menor que 35 anos que tenham tentado engravidar há um ano com relação sexual regular, mas que ainda não ficaram grávidas devem consultar um médico de fertilidade.

A verdade é que será melhor consultar um médico de fertilidade, descobrir se seus órgãos reprodutivos estão funcionando bem e ser enviada para casa com uma receita bem-cronometrada de relações sexuais, do que ficar com o seu obstetra/ginecologista por meses ou anos se perguntando "Quando vai ser a minha vez de ser mãe?". E, para piorar, com o passar do tempo, as dificuldades aumentam.

Você ainda pode ser cética e ter receio, mas aqui vai o raciocínio por trás de um médico de fertilidade ao invés do seu obstetra:

  • O objetivo final do médico de fertilidade é a gestação com sucesso. Isso quer dizer que muitas vezes o tratamento de algumas doenças e problemas podem ser evitados, escolhendo atalhos para o objetivo final. Por exemplo, o foco no tratamento da varicocele (causa reconhecida de infertilidade) pode levar o casal ao tratamento cirúrgico da varicocele e depois a espera por mais alguns meses e pode não haver resultado, perdendo tempo precioso. Existem procedimentos de coleta de esperma que podem pular o processo do tratamento da varicocele. Obviamente isso depende de cada caso, e deve ser conversado com seu médico de fertilidade. Mas o exemplo ilustra bem a diferença quando o foco é ter um bebê, ou o foco é tratar o que aparece, e se possível ter um bebê depois.
  • Um médico de fertilidade irá fornecer um abrangente exame de fertilidade. Completo com exame de sangue, ultrassom, análise de sêmen do seu parceiro, histórico médico e testes de fertilidade como histerossalpingografia (HSG) para se certificar de que suas trompas uterinas estão abertas. O médico de fertilidade irá também avaliar sua probabilidade de engravidar na sua idade, com seu respectivo diagnóstico de infertilidade do fator masculino ou do fator feminino. Seu obstetra (e isso vem de alguém que ama a obstetrícia e a ginecologia) não tem a capacidade de testar todas essas coisas e não concluiu a formação complementar em Endocrinologia Reprodutiva e Infertilidade para orientá-la sobre isso adequadamente.
  • Seu médico de fertilidade acompanhará você de perto durante todo o seu ciclo de tratamento de fertilidade através de exames de sangue e ultrassom, em alguns dias ou diariamente, conforme seu ciclo progride. Seu obstetra, não importa quão habilidoso ele ou ela seja para escrever uma receita de Clomid ou mesmo para fazer uma IIU no consultório, é mais provável que não vá acompanhá-la em uma base diária. Se você não consegue ver seus ovários respondendo aos medicamentos de fertilidade a cada dia e não sabe sua taxa de estrogênio no sangue e os níveis de progesterona, como você saberá se você está respondendo adequadamente (ou hiperestimulando) em um ciclo (o que é grave)? Ainda pior, se seu ginecologista não requisitou uma análise de sêmen de seu parceiro (e a maioria não o faz, pois tratam apenas de questões femininas), como você saberá se a infertilidade de fator masculino não é a razão pela qual você não está grávida?
  • Um médico de fertilidade vai olhar para os testes de fertilidade e para a análise do sêmen do seu parceiro para elaborar o plano de tratamento que será o certo para você. Avaliando o problema do casal. Ele ou ela vai usar a análise de sêmen como um guia para determinar a necessidade de fazer FIV com injeção intracitoplasmática de espermatozoide (ICSI) para contornar a infertilidade de fator masculino grave. O máximo que seu ginecologista poderá fazer com uma análise de sêmen é recomendar uma IIU ou encaminhá-la para um médico de fertilidade de qualquer maneira. Veja... poupança de tempo e dinheiro aqui, pessoal!
  • Sua clínica de fertilidade está cheia de pessoal e de plantão. Em clínicas de fertilidade maiores, você provavelmente vai trabalhar com um médico em rotativo e terá uma enfermeira designada para responder às suas perguntas relacionadas ao tratamento de fertilidade. Em clínicas de fertilidade menores, você pode ver só um médico e uma enfermeira. Dada a sensibilidade do tempo do tratamento de fertilidade, é extremamente provável que seja dada uma lista de números de telefone para contato com perguntas, emergências e instruções específicas sobre o que fazer quando chegar sua menstruação, um teste de ovulação positivo ou um teste de gravidez positivo. Seu ginecologista certamente terá um número de telefone de plantão para discar depois de horas, mas as chances são que de que você fique esperando até o próximo dia útil até ouvir a resposta de alguém. Você não quer perder essa janela de oportunidade durante a ovulação, não é?

Enquanto o pensamento de ver um médico de fertilidade é às vezes assustador, vai poupá-la tempo, dinheiro e dor de cabeça a longo prazo. Então, deixe o Papanicolau para seu ginecologista e os tratamentos de fertilidade para o seu médico de fertilidade. Você não vai se arrepender!

fertilidadeconsulta
Categories: Medicina

Uso de Antioxidantes para Melhorar a Infertilidade Masculina

Antioxidades

Ajuda nos fatores masculinos

Homens que tomam suplementos de antioxidantes para melhorar a sua fertilidade. Uma tendência que está crescendo próxima à proporção do aumento da prevalência de subfertilidade em casais que tentam engravidar, bem como a crescente consciência de que fatores masculinos podem ser um problema significativo durante esta fase potencialmente desafiadora no relacionamento de um casal. É bem sabido que fatores masculinos são a única causa da infertilidade em 30% dos casais que têm dificuldade em engravidar, com mais de 20% atribuíveis a fatores masculinos e femininos.

A teoria por trás dos antioxidantes

Durante seu ciclo de vida, o esperma é exposto a uma sopa bioquímica que contém radicais livres ou espécies reativas de oxigênio (ROS) em fala científica. Enquanto ROS desempenham um papel fundamental no funcionamento saudável do esperma, quando a sua concentração fica muito alta, o estresse oxidativo ocorre e pode atrapalhar a sua capacidade de nadar corretamente (baixa mobilidade do esperma), bem como danificar sua carga genética de DNA.

O corpo naturalmente tenta manter a concentração correta de ROS através da produção endógena de antioxidantes, porém, se ocorre um desequilíbrio, suplementos orais podem ajudar a colocar as coisas nos eixos – ou, pelo menos, é o que a teoria sugere.

O que a ciência diz sobre antioxidantes

É quase impossível encontrar informações de boa qualidade sobre antioxidantes. Estudos científicos muitas vezes são citados se apoiam os interesses comerciais dos que os citaram. Como eu posso declarar absolutamente, que não tenho conflitos de interesses de qualquer maneira, aqui está o que a ciência realmente diz sobre antioxidantes e o que eu acredito sobre isso: A probabilidade de um casal ter uma gestação seguida de parto onde o homem é subfértil é considerada em torno de 5%, quando nenhum suplemento antioxidante é tomado (placebo ou sem tratamento); mas sobe para 10 a 31% após o tratamento com antioxidantes orais (Showell et al 2014), porém, com evidências de baixa qualidade. 

Enquanto são ótimas as notícias de que antioxidantes funcionam, eles são uma solução eficaz apenas para alguns homens, tão poucos quanto 5 a 16% dos casais que estão tentando engravidar. No entanto, é provável que muitos homens experimentarão algumas melhorias na sua qualidade do esperma, que certamente irão ajudar a contribuir para o êxito na gravidez, quando usado em conjunto com outros tratamentos de fertilidade.

Que antioxidantes tomar

Enquanto a lista de nutrientes com evidência científica que apoiam sua eficácia potencial é longa e cresce diariamente, os antioxidantes mais bem comprovados e que melhoram a qualidade do esperma são:

  • Vitamina C,
  • Vitamina E,
  • Zinco,
  • Selênio e
  • Coenzima Q10
Tenha seu esperma testado

Se você está interessado em tentar tomar antioxidantes para ver se eles ajudam em seus esforços para fazer bebês, uma das melhores maneiras que você terá para dizer se eles estão te ajudando, é ter o seu esperma testado tanto previamente quanto depois de três meses ou mais de tratamento (espermograma). Se houver melhoria nesse tempo, saberá que eles estão te ajudando. Ironicamente, no entanto, se você for sortudo o suficiente para engravidar antes de começar seu segundo teste, então você felizmente nunca saberá.

Bibliografia

Showell M.G, Mackenzie-Proctor R, Brown J, Yazdani A, Stankiewicz M.T, Hart R.J. Antioxidantes para subfertilidade masculina (revisão). The Cochrane Collaboration

dietasuplementodieta da fertilidade
Categories: Medicina

Gravidez e Varizes

vascular.pro - Mon, 05/01/2017 - 20:26

Varizes podem acontecer a qualquer um, mas elas são especialmente comuns em mulheres grávidas. Estes vasos sanguíneos inchados, com protuberâncias próximas da superfície da pele, ocorrem mais comumente nas pernas, mas também podem aparecer em outros lugares, na parte inferior do corpo e até mesmo em seu reto e vulva. Para muitas mulheres grávidas, estas veias desagradáveis são desconfortáveis ou as fazem se sentir constrangidas, mas você não tem que viver com elas para sempre. Neste artigo, nós veremos as informações críticas as quais você precisa saber sobre gravidez e varizes.

Por que mulheres grávidas ficam com varizes?

As varizes ocorrem porque o sangue começa a acumular nas veias, conforme o sangue luta para desafiar a gravidade e retornar de volta ao coração. Em mulheres grávidas, conforme o útero aumenta de tamanho com o bebê, coloca mais pressão sobre a veia cava inferior, a veia longa que corre ao longo do lado direito do seu corpo. Esta, por sua vez, coloca mais pressão sobre as veias em suas pernas. Além disso, quando você está grávida, há um aumento do volume de sangue em seu corpo. Além de tudo isso, seus níveis de progesterona ficam mais elevados, o que faz com que as paredes dos vasos sanguíneos relaxem. Eis porque as varizes são um problema comum durante a gravidez. Muitas mulheres desenvolvem varizes pela primeira vez quando estão grávidas, ou se elas já têm varizes, o problema se agrava conforme sua gravidez progride.

Algumas mulheres são mais propensas a desenvolver varizes durante a gravidez do que outras por causa da genética. Se um membro da sua família tem varizes, é mais provável que você as tenha. Além disso, se as tiver, geralmente pioram após cada gravidez e com a idade. Você também é mais propensa a desenvolver varizes, se você estiver com sobrepeso ou obesidade, estiver carregando gêmeos ou múltiplos ou se fica de pé regularmente por longos períodos de tempo.

Prevenção

Se você está grávida e preocupada com o desenvolvimento das varizes, existem várias maneiras para que você consiga impedi-las ou retardá-las. Claro, há tanta coisa que você pode fazer sobre algumas das causas das varizes, mas se você tomar certas medidas, você poderá ser capaz de, pelo menos, minimizar seu impacto.

Durma do lado esquerdo

Como dito acima, as varizes durante a gravidez são comuns porque o útero pressiona contra a veia cava inferior, que está no lado direito do seu corpo. Você pode aliviar alguma pressão desta veia dormindo do seu lado esquerdo, facilitando o fluxo de sangue.

Exercício diário

Uma das melhores maneiras para que você possa reduzir suas chances de adquirir varizes durante a gravidez é se exercitar todos os dias. Exercitando-se, você melhora a circulação nas pernas, facilitando que o sangue retorne ao seu coração e seja menos propenso a estagnar em suas veias. Incorpore trinta minutos de exercício moderado em sua rotina diária. Melhore a musculatura da panturrilha.

Elevar as pernas

Você também pode ajudar a sua circulação ao elevar as pernas. A cada três horas, faça uma pausa para sentar e levantar as pernas acima do coração. Quando em pé, alterne em qual perna você coloca o seu peso e tente não cruzar as pernas.

Controle seu peso

Excesso de peso coloca mais pressão sobre suas veias, tente não ganhar muito peso extra durante a gravidez. É normal e saudável, muitas vezes ganhar peso durante a gravidez, mas tenha cuidado. Fale com seu médico sobre quanto peso você deve ganhar.

Meias de compressão

Meias de compressão são uma ferramenta que muitas vezes usamos em nossa clínica de veias para melhorar o fluxo sanguíneo. Existem meias projetadas especificamente para as mulheres grávidas. Se você precisa de meias de compressão, nós podemos indicar aquelas feitas especificamente para você.

Evite a constipação

A constipação é comum durante a gravidez, mas pode agravar as varizes, então, tome medidas para impedi-la. Beba muita água, coma alimentos ricos em fibras e evite consumir muito sal. Se você precisa tomar um laxante para causar alívio, saiba que são seguros para uso durante a gravidez, mas converse com seu médico se você estiver preocupada.

 

Tratamento

Na nossa clínica de veias realizamos vários procedimentos para tratar as varizes, incluindo escleroterapia e ablação a laser endovenoso. No entanto, a cirurgia de veia não é recomendada para mulheres grávidas. Em geral, as varizes irão melhorar alguns meses após o nascimento, porque o útero já não vai pressionar tanto a veia cava inferior. No entanto, se você ainda tiver varizes de três ou quatro meses depois de ter tido seu bebê, você pode considerar receber um tratamento venoso. Se você tiver dado à luz recentemente e estiver preocupada com suas varizes, venha para uma consulta. Nosso cirurgião vascular vai trabalhar com você para determinar o melhor método de tratamento para as varizes. Contate-nos hoje para saber mais!

 

Leia também:

  Tags: gravidezvenosovarizes
Categories: Medicina

Você Precisa de Gordura Corporal Para Engravidar

Dieta da fertilidade

Peso ideal para engravidar

Ambas massa corporal (IMC) e gordura corporal desempenham um papel importante quando se olha para a relação de peso e fertilidade.

O IMC Ideal para Fertilidade

Há um intervalo de peso que é considerado ideal para a fertilidade. É baseado no seu índice de massa corporal (IMC), que é calculado colocando o seu peso e altura em uma fórmula e obtendo um número. Existem muitas calculadoras de IMC na Internet — aqui está um widget para fazer o calculo aqui mesmo, sem sair da página:

 

Para otimizar a fertilidade, idealmente seu IMC deve estar entre 20 e 24. Se seu número está fora desse intervalo, não entre em pânico ou se preocupe! E definitivamente não comece uma dieta de última hora sem acompanhamento de sua especialista em reprodução humana. Isso é muito estressante para o corpo e, quando estamos tentando engravidar, queremos limitar o estresse em todas as suas formas. Trabalhe só para perder o peso de forma saudável ao longo do tempo. Converse com seu médico sobre isso.

A dieta da fertilidade definitivamente pode ajudá-la a perder peso de forma saudável. Uma vez que você elimine o álcool, cafeína, café, açúcar refinado, gordura trans e alimentos excessivamente processados — para não mencionar o leite e a farinha, as "más" ou "excessivamente altas" calorias terão ido. Em vez disso, você vai estar comendo uma variedade equilibrada de todos os vegetais orgânicos, proteína magra, bons carboidratos e gorduras saudáveis, e tudo isso naturalmente vai aliviar seu corpo em direção a um peso mais equilibrado, saudável, sem passar fome! Você terá muito mais energia também. (Veja sobre óleo de côco.)

Mas e quem já está pronta, com um peso aparentemente saudável? Deve ter cuidado para não perder peso em uma dieta de fertilidade se certificando de comer quantidades suficientes de alimentos e que têm níveis suficientes de gorduras saudáveis, em equilíbrio com o resto da sua dieta. Você pode querer comer pratos mais pesados que tenha todos os ingredientes saudáveis, como uma versão saudável do Chili com Carne e um ensopado de cordeiro (só idéias heim).

O Percentual de Gordura Corporal Também é Importante

Entretanto, seu IMC sozinho não é a única coisa a se observar e controlar. O percentual de gordura corporal também é importante, e, para isso são utilizados os aparelhos de bioimpedância. Resumindo: você precisa de uma certa quantidade de gordura para engravidar!

Existem exemplos de mulheres atléticas, que levantam pesos e seguem uma dieta de baixo teor de gordura, saudáveis para todos os aspectos, menos para engravidar. São pessoas magras, com um índice de massa corporal de 18 ou menos. Nível de condicionamento físico ótimo, ótima saúde. Mas para ajudar a engravidar, às vezes é preciso ganhar peso. Também aumentando a gordura corporal, porque provavelmente com o nível de atividade vigorosa, o percentual de gordura corporal fica bem abaixo da média. Quando você está tentando engravidar, quer que a sua gordura corporal esteja mais perto da de uma mulher média, que é entre cerca de 22 a 25 por cento. Alguns autores recomendam um percentual de gordura corporal mínimo de 18 enquanto estiver tentando engravidar. Atletas do sexo feminino podem ter gordura corporal tão baixa quanto 8 ou 10.

Para essas mulheres é recomendado exercitar-se moderadamente (em vez de vigorosamente) e diminuir a intensidade de levantamento de peso... e melhor ainda... eliminá-la, sabendo que é temporário. Junto com isso, parar com a dieta de baixo teor de gordura. O corpo absolutamente precisa de gordura enquanto tenta engravidar. Que seja do tipo gordura saudável, que pode ser encontrada em nozes e sementes, azeite de oliva, peixes com baixo teor de mercúrio e abacates. E ganhar algum peso. Em outras palavras, vá devagar e pegue leve. Acompanhado pela médica.

Isto não é fácil, especialmente em nossa sociedade, que pressiona as mulheres para serem magras! Recuar (abrandar os exercícios e parar de levantar pesos), permitindo que o corpo "amoleça", ganhando também alguns quilos para que o índice de massa corporal (IMC) esteja dentro da faixa ideal para fertilidade/concepção é, uma mudança bem difícil que se deve fazer.

Claro, saiba que depois de ter seu bebê, você poderá voltar ao seu nível de aptidão anterior! E o bebê fará com que tudo isso valha a pena.

 

Fonte: Toni Weschler, Taking Charge of Your Fertility

dieta
Categories: Medicina

O processo de tratamento da Fertilização in vitro

FIV, In vitro fertilization (IVF).

FIV

Fertilização in vitro

A fertilização in vitro (FIV) é um processo em que as células dos ovários são fertilizadas/fecundadas pelo espermatozoide fora do corpo, no tubo de ensaio, ou in vitro. O termo In vitro vem do latim e significa no vidro, o que, no caso, se refere ao tubo de teste ou vidro de Petri, daqueles usados nas aulas de ciências.
FIV é um tratamento para a infertilidade que envolve controle dos hormônios do processo ovulatório, retirada do óvulo dos ovários femininos e facilitando para que os espermatozoides fertilizem-o fora do corpo, em um meio fluido (in vitro). O óvulo após fertilizado é transferido para o útero da paciente com a intenção de causar a gestação de sucesso.
Muitas vezes, o tratamento da FIV é preconizado quando os outros tratamentos tenham falhado, às vezes seguidos de meses de tentativas de engravidar sem sucesso, mas outras vezes é o primeiro tratamento proposto. Por isso a consulta com o especialista em reprodução humana se faz necessário.

A fertilização in vitro é muito conhecida popularmente como o método do “Bebê de Proveta”, e é o tratamento de Reprodução Humana Assistida mais realizado no mundo.

É uma técnica já bem consolidada, sendo que o primeiro nascimento de sucesso de um “bebê de tubo de ensaio”, Louise Brown, ocorreu em 1978. Robert G. Edwards, o médico que desenvolveu o tratamento inicialmente, foi premiado com o Nobel em Fisiologia ou Medicina em 2010.

O passo a passo da fertilização in vitro (FIV) indicado após meses de tentativas sem êxito:

Fertilidade e seus passos

Existem basicamente 5 passos no processo do tratamento da fertilização in vitro  para engravidar que incluem a transferência de embrião:

PASSO 1 – MONITORAMENTO E ESTIMULAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO DE ÓVULOS SAUDÁVEIS NOS OVÁRIOS
Medicações para fertilidade são prescritas para controlar o momento do amadurecimento do óvulo e aumentar a chance da coleta de múltiplos óvulos durante um dos ciclos femininos. Este processo é chamado de indução da ovulação.

Múltiplos óvulos são desejados porque alguns óvulos não irão se desenvolver ou fertilizar após sua obtenção. O desenvolvimento do óvulo é monitorado usando-se o ultrassom para o exame dos ovários e testes de amostras de urina ou sangue para checagem dos níveis hormonais.

PASSO 2  - OBTENÇÃO DOS ÓVULOS
Os óvulos são obtidos através de um pequeno procedimento cirúrgico minimamente invasivo no qual a imagem do ultrassom é usada para guiar uma agulha coletora através da cavidade pélvica. Sedação e anestesia local são administradas para a remoção de qualquer desconforto que se possa experimentar. Os óvulos são removidos dos ovários usando-se a agulha coletora, processo este chamado de aspiração folicular. O processo de obtenção do óvulo normalmente leva de 20 a 30 minutos, dependendo do número de folículos maduros presentes. Algumas mulheres podem experimentar cólicas no dia da obtenção, o que comumente alivia no dia seguinte; no entanto, uma sensação de preenchimento ou pressão pode durar por várias semanas subsequentes ao procedimento.

PASSO 3 – OBTENÇÃO DO ESPERMATOZÓIDE
No dia da obtenção do óvulo, o parceiro masculino necessitará produzir uma amostra de esperma para o laboratório de fertilização in vitro utilizar na fertilização dos óvulos. Alternativamente, o sêmen deve ser obtido do doador. O homem que proverá o sêmen deve abster-se de ejacular de 3 a 5 dias antes da obtenção do óvulo.

 

PASSO 4 – FERTILIZAÇÃO E CRESCIMENTO PRECOCE DO EMBRIÃO
Em um processo chamado inseminação, o esperma e os óvulos são colocados em incubadoras localizadas no laboratório que possibilitam a ocorrência da fertilização. Em alguns casos onde suspeita-se que a fertilização seja baixa, a injeção intracitoplasmática de espermatozoides pode ser usada. Através deste procedimento, o embriologista separa um único espermatozoide e o injeta diretamente no óvulo na tentativa de atingir a fertilização. Os óvulos são monitorados para que se confirme que a fertilização e a divisão celular estão ocorrendo. Uma vez isto ocorrendo, os óvulos fertilizados são considerados embriões. 

PASSO 5 – TRANSFERÊNCIA DOS EMBRIÕES PARA O ÚTERO
Os embriões são normalmente transferidos para o útero da mulher em algum momento entre o 1º e o 6º dia após a obtenção do óvulo, sendo mais frequente realizado entre o 2º e o 3º dias após a obtenção do óvulo. Neste momento, o óvulo fertilizado dividiu-se para tornar-se um embrião de 2 a 4 células. O processo de transferência envolve um espéculo que é inserido na vagina para expôr a cervix. Um número pré-determinado de embriões estão suspensos em um fluido e gentilmente colocados através de um cateter no útero. Este processo é frequentemente guiado por ultrassom. O procedimento é normalmente indolor, mas algumas mulheres experimentam cólicas moderadas. 
Estes passos são seguidos por repouso e observação de sintomas de uma gravidez precoce. Por volta de duas semanas após a obtenção, um teste sanguíneo, e, em alguns casos, um ultrassom, serão usados para determinar se a implantação e a gravidez ocorreram. 

EMBRIÕES EXCEDENTES
Algumas vezes os casais podem ter embriões excedentes à disposição após um procedimento de fertilização in vitro. Nesses casos, estes casais devem decidir por criopreservação (congelamento) para armazenar embriões para um futuro ciclo de fertilização in vitro. 

 

Fonte: Amato, JLS. Em Busca Da Fertilidade. 2014

 

 

* Em tempo: Não é fertilização em vidro ou fertilização em vitro, o correto é fertilização in vitro

técnicafivfertilização in vitropasso a passoLocal do corpo: ÚteroCuidados pós procedimento: Repouso relativo e uso hormonal (indicado pelo médico)Preparo: Preparo hormonal e monitorização de cicloTipo de procedimento: NoninvasiveStatus: Bem definido
Categories: Medicina

A primavera é a melhor época para fazer um ciclo de fertilização in vitro?

Primavera

Melhor época para FIV/ICSI

Seria a época dos patos e coelhos, a melhor entre as outras três para a fertilização in vitro? O estudo de "Variabilidade sazonal na taxa de fertilização de mulheres passando por tratamentos de reprodução assistida," que foi publicado na edição de julho de 2012 da Endocrinologia Ginecológica, mostrou que para os casais submetidos à FIV com injeção intracitoplasmática de espermatozoide (ICSI), a taxa de fertilização — a união do óvulo com o espermatozoide para formar um embrião — era maior na primavera. Nota: a estação não teve efeito sobre as taxas de gravidez.

Pesquisadores resolveram determinar se a época do ano afeta os resultados do tratamento de reprodução assistida. Eles estudaram 1.932 pacientes submetidas à FIV/ICSI e agruparam por estação, de acordo com o dia da extração do óvulo: inverno (435 pacientes), primavera (444 pacientes), verão (469 pacientes) ou outono (584 pacientes). Todas as pacientes vieram de uma única clínica de fertilidade

Os pesquisadores avaliaram a fertilização 18 horas após a ICSI, que é um procedimento no qual um único espermatozoide é injetado dentro do óvulo. E descobriram que a taxa de fertilização teve um pequeno aumento durante a Primavera:

  • Primavera: 73,5%
  • Verão: 68,7%
  • Outono: 69%
  • Inverno: 67,9%

Os pesquisadores também mediram os níveis de hormônio e observaram que os níveis de estradiol das mulheres eram maiores na primavera; no entanto, as taxas de gravidez não mudaram muito durante as estações do ano, permanecendo em cerca de 33 por cento

 

 

Bibliografia:

Seasonal variability in the fertilization rate of women undergoing assisted reproduction treatments
Daniela Paes De Almeida Ferreira Braga, Amanda Setti, Rita de Cássia Sávio Figueira, Assumpto Iaconelli Jr., and Edson Borges Jr.
Gynecological Endocrinology Vol. 28 , Iss. 7,2012
 

icsifivclima
Categories: Medicina

12 coisas para não falar para quem está com dificuldade de engravidar

A infertilidade afeta 1/8 casais, então as chances de você ter tido dificuldades de conceber, ou conhecer alguém que está passando por isso no momento são altas. Por isso, aqui vão algumas dicas para ser mais sensível ao problema.

Você deve evitar dizes essas 12 coisas para sua amiga ou colega que está passando pelo problema:

1. Apenas relaxe

Sim, estresse tem tudo a ver com a infertilidade, e técnicas de redução de estresse podem ajudar à concepção, mas a infertilidade é um diagnóstico médico e a consulta com o especialista em reprodução humana para descobrir a causa do problema é muito importante

2. Minimizar o problema

Independente de qual seja a sua visão do problema, pesquisas mostram que a inabilidade de engravidar é um grande fator estressante, juntamente com a perda de um emprego e o diagnóstico de câncer.

3. "Podia ser pior"

É bem provavel que sua amiga não veja o problema assim. Não piore a situação.

4. "Talvez vocês não estejam preparados para serem pais"

Não faça isso. De jeito nenhum. Muitos casais com infertilidade vêem sua condição como punição divina ao invés do que ela realmente é: uma doença tratável. Falar isso simplesmente vai reforçar essa dúvida.

5. Porque você não faz uma FIV?

FIV é o tratamento mais efetivo para infertilidade, mas não é para todo mundo. É um tratamento que pode ser considerado caro, invasivo, estressante, e, até mesmo conflitante com alguns princípios religiosos.

6. Apenas adote

Adoção é uma opção razoável, mas muitos casais demoram para tomar essa decisão, enquanto outros não querem crianças que não tenham sua genética familiar.

7. Você é jovem, ainda tem muito tempo.

Mulheres mais jovens normalmente tem facilidade para engravidar, então se não estão conseguindo, está na hora de descobrir o porque. Sim, as chances de sucesso são maiores em mulheres mais jovens, mas não há garantias.

8. Fofoca.

Infertilidade é um problema privado, você não gostaria de alguém falando de seus problemas de saúde para outros, não?

9. Observações grosseiras, e piadas de mal gosto

A infertilidade mexe com a parte mais sensivel e pessoal de nossas vidas, não arrisque colocar humor nisso.

10. Reclamar da própria gravidez

Não importa o quanto esteja sofrendo com os sintomas da gravidez, sua amiga vê a gestação como a maior dádiva e bênção que ela espera. Ver outra mulher grávida é uma tarefa difícil para mulheres com infertilidade.

11. Minimizar as preocupações porque já tem uma criança.

Para muitos casais a familia não está completa com um filho, e é cada vez mais frequente a busca pelo segundo filho. Especialistas de infertilidade chamam de infertilidade secundária.

12. Perguntar de quem é a culpa.

Infertilidade é um problema do casal. Embora muitas vezes seja possivel determinar quem do casal que possui a doença, é necessário os dois para ter um bebê. As vezes quando a causa é masculina, a mulher também tem que passar pelo tratamento. Apontar culpa além de contraprodutivo pode causar um estresse na relação. Não acrescente mais ainda nesse ponto.

 

 

Veja também:

ENCONTROS DE FAMÍLIA E A INFERTILIDADE (COMO LIDAR?)

psiquedicas
Categories: Medicina

Sintomas da Gravidez

Ter um bebê

Surpresa! Você está grávida! E agora, o que esperar?

A gestação é um saquinho de surpresas, a cada fase uma nova sensação, mudanças no nosso organismo para se adaptar a esta nova condição, para você  ir se acostumando com a idéia e saber o que é comum sentir na gravidez e não necessariamente precisar de tratamento aí vão algumas dicas de  “o que esperar quando se esta esperando...”

Faça o teste de gravidez online

 

Fique conosco.... Continuando o artigo....

No início da gravidez:

  • Náuseas e vômitos;
  • Aumento das mamas e dor;
  • Escurecimento dos mamilos;
  • Sono;
  • Prisão de ventre;
  • Tonturas;
  • Dor de cabeça;
  • Aumento da freqüência de urinar;

 

A boa notícia é que as náuseas na maioria das mulheres acaba após os 3 meses de gravidez assim como aquele sono incontrolável. Para os outros sintomas não esqueça de pedir orientação ao seu médico pois tudo pode ser contornável por medicações sintomáticas e alimentação adequada.

 

Durante toda gestação:

  • Manchas na pele (cloasma gravídico);
  • Aparecimento de linha escurecida no abdome;
  • Estrias;
  • Dor nas costas;
  • Azia;
  • Dificuldade para dormir, pelo aumento da barriga e mamas;
  • Dor nas pernas;
  • Propensão a desenvolver varizes nas mulheres predispostas;
  • Pré disposição a hemorróidas;

 

Aqui listamos algumas modificações do organismo materno, lembrando que nem todas as mulheres por regra passarão por todas estas fases.

Lembrem-se: para que sua gravidez seja tranqüila é importante um acompanhamento Pré Natal adequado, hábitos de vida e alimentares saudáveis, exercício físico a partir do segundo trimestre de gravidez com orientação médica pela obstetra.

 

Sintomas da Gravidez

Por: Dra Juliana Amato

 

 

Ter um bebê pode ser o sonho de muitas mulheres. Às vezes o atraso da menstruação é a primeira dica entre todos os sintomas de que a mulher está grávida. A gravidez pode apresentar diferentes sintomas em cada semana da gestação.

Fonte: Rizk, B; Garcia-Velasco, J; Sallam, H; Infertility and Assisted Reproduction. 2008. Cambridge University Press.
Te Linde. Ginecologia Operatoria. 8ed. Rock Thompson.

Amato, JLS. Em Busca Da Fertilidade. 2014

gravidezgestaçãosintomas
Categories: Medicina

Angioplastia de carótida

vascular.pro - Mon, 04/24/2017 - 21:22
Angioplastia ou stent de carótida

A angioplastia é a cirurgia por meio de punções, ou seja, minimamente invasiva realizada para a desobstrução de artérias. É uma técnica simples, porém sofisticada, que, entre outros benefícios, previne a ocorrência de isquemia cerebral (derrame). Para realizar a angioplastia, um cirurgião vascular utiliza um cateter que é colocado dentro da artéria para abrir espaço e facilitar o fluxo sanguíneo.

 

A angioplastia é importante para que o sangue chegue ao cérebro adequadamente.

 

Leia nossa coletânea de perguntas frequentes sobre carótida e seus tratamentos.

 

A colocação de stent por método endovascular em carótida é normalmente acompanhado da angioplastia pré ou pós procedimento. Os pacientes que poderão fazer angioplastia pré procedimento são aqueles onde a estenose é tão grave que o material endovascular não passa pelo estreitamento, e aqueles que fazem pós procedimento o fazem para acomodar o stent na sua posição ideal. Apesar de ser pré e pós, ambas angioplastias são realizadas no mesmo ato cirúrgico.  A restauração do fluxo pela angioplastia e pelo stent  libera a passagem do sangue para o cérebro através da obstrução na artéria carótida. A aterosclerose, doença que mais acomete as carótidas, também ocorre muito frequentemente no coração, e a angioplastia de carótida possui um risco menor de infarto do que a cirurgia aberta de carótida. Mas a indicação do melhor tratamento deve ser realizada em conjunto com seu cirurgião vascular. 

carótidaarterialartériavascular
Categories: Medicina

Esse casal não desistiu

Grande maioria dos casais desistem da fertilização in vitro após algumas tentativas sem êxito, mas esse casal não desistiu.

Enquanto algumas pesquisas mostram que grande parte dos casais que não desistem terão eventualmente uma gravidez com a FIV, muitos desistem por uma combinação de exaustão física, mental e/ou financeira. Como testamento à determinação este casal fez 18 tentativas de FIV em Tel Aviv, Israel. No último ciclo engravidaram de trigêmeos. Veja a história deles na fonte: https://www.princetonivf.com/fertility-blog/israel-couple-pregnant-on-iv...

históriaêxitofivinternacionalnews
Categories: Medicina

Investigando a Linguagem do Tratamento de Fertilidade: IIU Explicada

Inseminação Intra Uterina

IIU / IUI

Existem muitos diferentes procedimentos de tratamento para ajudar a engravidar. IIU, também conhecida como inseminação intrauterina ou inseminação artificial, é um dos mais comuns procedimentos para tratamento de fertilidade utilizados atualmente.

 

Para Que Serve a Inseminação Intra-uterina (IIU)?

 

IIUs são usadas para tratar muitos diagnósticos diferentes de infertilidade, incluindo:

 

O Que Acontece Durante um Procedimento de IIU?

 

IIU pode ser feita com ou sem medicamentos que impulsionam a ovulação. Se uma IIU é feita com medicamentos, em seguida, os ovários são estimulados para produzir uma pequena quantidade de óvulos maduros. Diferente da FIV (Fertilização In Vitro), onde os óvulos são retirados e então fertilizados, com uma IIU, a ênfase está em garantir que haja apenas alguns óvulos para emergir. Há uma possibilidade de gestações múltiplas quando é feita uma IIU e mais do que apenas alguns óvulos maduros emergem, então é preciso que haja um cuidadoso e consistente monitoramento.

Quando os óvulos estão maduros, há um "gatilho" de injeção - uma medicação que estimula os folículos (bolsas cheias de fluido que contêm os óvulos) para liberar os óvulos. Em seguida, o esperma é coletado, através de masturbação e dado ao laboratório do programa de fertilidade para ser preparado. O esperma é cuidadosamente preparado e então introduzido dentro do útero através do colo do útero, usando um pequeno cateter.

Muitos programas de fertilidade fazem duas inseminações em cada ciclo para maximizar a probabilidade dos espermatozoides atingirem os óvulos no momento ideal.

Há poucos cuidados após o procedimento que precisam ser feitos. As inseminações normalmente não causam dor. Não há atividades específicas que você precise evitar ou que você precise tomar precauções. Apesar disso, a maioria dos programas e clínicas de fertilidade desaconselha exercício físico muito intenso.

Alguns procedimentos de fertilidade incluem medicamentos após a IIU para a reforçar ainda mais a implantação precoce.

E depois há a espera.

Para obter mais informações sobre a IIU, por favor entre em contato conosco. Se você tem tentado engravidar há um ano, é hora de procurar ajuda.

 

 

iiutratamentoexplicação
Categories: Medicina

Anomalias das trompas

Trompa uterina bloqueada

fluido fica retido no tubo e faz com que ele inche

As trompas de Falópio são dois "tubos” contráteis anexados ao lado esquerdo e ao lado direito do útero. Cada tubo estende-se desde o útero para o ovário e sua função é pegar o óvulo, assim que ele é liberado do ovário. As extremidades das trompas de falópio são alargadas e têm delicadas estruturas semelhantes a dedos chamadas fímbrias. Quando o ovário libera um óvulo ou ovócito, as fímbrias pegam o óvulo e o direcionam para dentro do tubo. Enquanto o óvulo passa pelas trompas de Falópio, ele recebe nutrição e um ambiente perfeito para a fertilização. O óvulo e o espermatozoide geralmente se encontram na porção distal do tubo, onde ocorre a fecundação. É vital que a trompa de Falópio esteja aberta e funcionando corretamente para permitir que o óvulo e o espermatozoide se encontrem e que o óvulo fertilizado se mova até o útero para implantação.

Tubos que tenham sido danificados por infecção prévia ou endometriose podem afetar severamente a chance de um casal conseguir a gravidez. Também existem Anormalidades Congênitas das trompas de falópio que podem dificultar a captação do óvulo.

 

Obstrução Tubária

 

Mulheres que tiveram infecções pélvicas, endometriose ou cirurgia que envolvem inflamação podem causar cicatrizes ao redor do útero e das trompas de Falópio. Mulheres que tiveram uma gravidez ectópica podem também ter obstrução tubária. A obstrução pode ser causada por várias outras condições, tais como:

  • Infecções pélvicas (tais como a doença inflamatória pélvica e doenças sexualmente transmissíveis)
  • Uma ruptura do apêndice ou cirurgia na pelve ou abdômen inferior
  • Uma gravidez tubária ou ectópica, nas trompas de Falópio
  • Malformação das trompas de Falópio
  • Endometriose
  • Aderências pélvicas entre estruturas normalmente não conectadas no útero ou na pelve
  • Anormalidades Congênitas

 

Hidrossalpinge

 

Uma trompa de Falópio bloqueada que se torne preenchida com líquido é chamada de hidrossalpinge. Esta não só causa infertilidade, como também pode reduzir a eficácia de outros tratamentos de infertilidade. A condição ocorre quando há lesão nas Trompas de Falópio, geralmente devido a infecção, que faz com que a extremidade do tubo se feche. Como resultado, o fluido fica retido no tubo e faz com que ele inche. Este fluido normalmente vazaria para fora da extremidade do tubo, mas já que o tubo está bloqueado na verdade os vazamentos retornam para o útero. Este fluido mostrou ser capaz de diminuir as chances de engravidar, em uma quantidade significativa. Se um embrião é implantado no útero usando FIV, este refluxo das trompas no útero pode diminuir as chances de sucesso de um terço à metade, a menos que seja tratado antes do tempo.

O sintoma mais comum de obstrução tubária é a infertilidade.

 

Diagnóstico de Danos Tubais

 

Fator Tubário e infertilidade é um problema muito comum e por causa disso nós rotineiramente examinamos para determinar se os tubos estão abertos e se não estão danificados, como parte dos testes habituais de fertilidade. No Plano de FIV nós rotineiramente usamos um dos dois tipos de exames de diagnóstico para verificar a permeabilidade tubária em um histerosalpingograma (HSG) e em um procedimento cirúrgico, a laparoscopia diagnóstica.

 

trompascausadiagnóstico
Categories: Medicina

Conexão da endometriose com a Infertilidade

Endometriose

e a infertilidade

A Endometriose Pode Ser Responsável por Até 70% das Mulheres Afetadas por Infertilidade e Dor Pélvica

A endometriose é uma condição de hormônio sensibilizados - como os ovários produzem hormônios normalmente todo mês, a endometriose pode crescer e piorar. A dor da endometriose geralmente ocorre antes e durante um ciclo menstrual. Esta dor cíclica e o crescimento da endometriose pode ser tratado com medicamentos que inibem a função ovariana. Isso significa que os ovários não estão produzindo óvulos durante o mês, e isto também evitará que a gravidez ocorra. É por isso que é difícil de tratar a endometriose associada com infertilidade - para casais tentando engravidar, nossos tratamentos de fertilidade muitas vezes estimulam os ovários a produzirem mais óvulos e mais hormônios durante o ciclo menstrual, e isso nada faz para tratar a dor associada com a endometriose. Na verdade, pode aumentar a dor. Para as mulheres com infertilidade e dor pélvica relacionada com endometriose, nosso objetivo é ajudar a gravidez a ocorrer mais rapidamente, reduzindo a quantidade de tempo em que o paciente sente a dor que ocorre com o ciclo menstrual.

Ciclos de tratamento de fertilidade são geralmente a melhor forma de tratamento em vez de cirurgia laparoscópica para as mulheres que estão tentando engravidar com endometriose.  Às vezes, no entanto, a cirurgia para endometriose pode ser realizada antes do tratamento de fertilidade, especialmente se a dor pélvica for um fator significativo. A cirurgia para endometriose é muito boa para aliviar a dor pélvica, mas provavelmente apenas minimamente aumentará a probabilidade de uma gravidez natural ou diminuirá a necessidade de tratamento de fertilidade quando a mulher está pronta para engravidar.

A endometriose, infelizmente, não pode ser completamente curada. A dor pélvica pode ser minimizada e a infertilidade pode ser superada com o tratamento, mas a inflamação pélvica e a presença das células dentro da pelve com endometriose geralmente continuam ao longo da vida reprodutiva feminina. Às vezes a endometriose pode progredir e causar dor pélvica crônica, que é muito difícil de tratar.

O Que Mais Você Pode Fazer Se Você Tem Endometriose?

Como com qualquer condição crônica, existem algumas maneiras de administrar a endometriose. Novos medicamentos estão sendo explorados e o controle de natalidade continua a ser uma forma adequada para impedir que as células indesejáveis se proliferem. Existem também vários estudos que estão sendo realizados, incluindo o estudo ROSE. ROSE significa Research OutSmarts Endometriosis (Pesquisa para Superação da Endometriose) e está em conjunção com a Endometriosis Foundation of America, fundada por Padma Lakshmi, uma respeitada celebridade que quando diagnosticada com endometriose saiu publicamente para apoiar outras que sofrem com a dor da endometriose. Você pode ler mais sobre esse estudo e ver se é uma boa escolha para você. 

Se precisar de ajuda com a dor pélvica, com a infertilidade ou se tem suspeita de endometriose, estamos aqui para ajudar. 

 

 

endometriose
Categories: Medicina

Taxa de fertilidade

Taxa de parto por transferência de acordo com a idade da mulher FIV/ICSI 2012 (RedLara)

As estatísticas da reprodução humana e taxa de fertilidade variam com o país, com as clínicas e com a causa da infertilidade. Os números aqui apresentados se referem a uma grande avaliação feita pela Red Lara (Red Latinoamericana de Reproducción Asistida).

fertilidadetaxaestatística
Categories: Medicina

Como o estresse afeta o nosso corpo

vascular.pro - Mon, 04/10/2017 - 21:41
A cardiologista Dra. Marisa Amato (CRM 30.400) explica quais são os principais efeitos do estresse no organismo e como ele pode afetar algumas das nossas principais funções. Confira!   Link para o teste: https://www.amato.com.br/content/teste-de-estresse   ***** Transcrição: Eu sou Marisa Amato, sou professora livre-docente da Universidade de São Paulo e cardiologista aqui do Instituto Amado. E hoje nós vamos falar sobre um tema que afeta muitas pessoas que é estresse. O nosso corpo ele tá preparado para quando tem um medo, para quando tem um problema, quando precisa sair correndo para fugir ele desencadeia algumas reações para ter energia e força para conseguir vamos assim escapar do perigo, e isso nós chamamos de reação de alerta, ela é no momento do fato, no momento que o homem identifica esse problema ocorrem liberações no cérebro, essas liberações são hormônios que vão agir no organismo inteiro preparando o organismo, por exemplo, para uma fuga essas são as reações de alerta e elas são feitas elas ocorrem para pessoa ter um curto espaço de tempo desempenhar um exercício muito forte. Ela é uma reação normal e natural para durar pouco tempo e essas reações imediatas elas afetam principalmente o aparelho cardiovascular então, a frequência cardíaca aumenta, a pressão arterial aumenta, capacidade respiratória aumenta aumentando o número de vezes que se respira e a profundidade para aproveitar melhor o oxigênio, há uma liberação de glicose do açucar no sangue para dar mais energia e há uma redistribuição do sangue, ou seja, os músculos que vão ser usados para uma luta, para uma corrida, para uma fuga eles recebem mais sangue nesse momento então há um rearranjo, uma redistribuição do sangue no organismo então, as pessoas ficam com as mãos com as  extremidades frias no momento de grande tensão, porque o sangue está indo nos órgãos que vão ser aproveitados de outra maneira. O que acontece nos dias de hoje, o que acontece para se viver numa civilização? Ninguém pode reagir um todo momento ao estresse que vive, e o que acontece? Esse estresse, essa tensão ela fica por muito tempo e esses hormônios que são liberados nesse momento para esse tipo de reação, eles permanecem no organismo, e se não se dá uma solução para o problema, eles continua agindo em nosso organismo. Então, as principais doenças causadas pelo estresse contínuo, constante por essa resistência ao estresse são as doenças do aparelho cardiovascular. Do ponto de vista da parte psicológica o estresse ele afeta muito, ele causa irritabilidade, insônia, diminui a capacidade de trabalho das pessoas, é isso essa angústia e tudo isso acaba levando a obesidade, a pessoa come compulsivamente e uma série de problemas, a obesidade acaba levando a diabetes, e entramos num ciclo vicioso aí as vezes a origem de tudo isso foi é apenas o estresse. Esse período de resistência que o organismo tem ao estresse, ele tem um limite chega um momento em que os órgãos entram em falência e não dão conta mais dessa adaptação e os problemas se tornam muito mais sérios podendo chegar até a morte. Eu digo para as pessoas dê um jeito de controlar o seu estresse, porque vai ter um momento que ele vai controlar você, e existem diversas técnicas para amenizar o que nós vivemos no dia de hoje. Temos uma maneira de avaliar o grau de estresse, quem se interessar pode entrar no site e calcular o grau de estresse. Se você gostou desse vídeo, compartilhe com seus amigos, e se quiser saber outros temas inscreva-se nosso site. Tags: estressecardiologiaprevenção
Categories: Medicina

Pages

Subscribe to Orientação Médica - Perder Peso aggregator