Feed aggregator

Histerossalpingografia: Exame para infertilidade

Histerossalpingografia

Histerossalpingografia

Dra Juliana Amato, ginecologista do instituto Amato (www.amato.com.br) explica como é o exame de histerossalpingografia.

 

. -- transcrição -- Olá, meu nome é Juliana Amato, sou ginecologista e obstetra do Instituto Amato, e hoje nós vamos conversar um pouquinho sobre como é feito o exame de histerossalpingografia. Pacientes que têm problema de infertilidade que é a dificuldade para engravidar. Quando passa no ginecologista, este vai pedir esse exame de imagem que é chamado histerossapingografia. Aqui na clínica recebo muitas pacientes que têm muitas dúvidas quanto a esse exame porque ele tem uma fama de fazer um exame muito dolorido. Muitas têm medo de fazer e eu quero desmistificar um pouquinho esse exame. A histerossalpingografia é um exame de imagem. É um exame que avalia a permeabilidade das trompas uterinas. Como ele é feito? Ele é feito um exame de raio x. Então você deita numa maca coloca um espetáculo como se fosse escolher um Papanicolau e depois coloca-se uma cânula bem fininha dentro do útero. Por essa cânula injeta-se um contraste e esse contraste ele vai corar. Vai passar pelo útero ou vai corar o útero vai corar as trompas e vai sair na cavidade uterina. O que muitas pessoas falam que dói é quando esse contraste ele passa quando tem a injeção desse contraste dá uma cólica. Dá. Realmente ele dá uma cólica mas a dor é diferente para cada um. Tem pessoas que têm um limiar de dor menor e outras têm um limiar de dor maior. Então muitas falam. Doeu muito! Outras: doeu menos. Hoje em dia o que se sabe sobre esse exame é o que se tem feito para diminuir a dor. Então aqui na nossa clínica a gente faz esse exame no nosso centro cirúrgico. O anestesista dá uma sedação. Essa sedação é uma sedação leve. E a gente consegue fazer esse exame sem dor. Porém essa é uma sedação leve porque depois de EXAME a paciente tem que deambular para fazer as outras chapas deambulando. Ela sente um pouquinho de dor mas não como ela sentiria num laboratório normal. Num laboratório normal, essa injeção de contraste, pra diminuir a dor, ela é feita de maneira bem lenta e a maioria das pessoas que fazem em alguns laboratórios pré determinados, elas não não se queixam muito de dor. O que eu tenho pra falar para vocês é que esse exame é importante para quadros de infertilidade. Ele deve ser feito. Ele deve ser avaliado. Não precisa ter medo desse exame é um exame simples e um exame de imagem, onde você vai ter vários exames de raio x, várias chapas do contorno do seu útero e da movimentação desse contraste pela trompa. Esse exame a gente tem certeza absoluta que não tem nenhum problema de permeabilidade tubárea. Porque ele tem que ser feito? É o único exame que avalia a trompa. Então um ultrassom normal não vai avaliar a trompa. Ele avalia a anatomia de um útero e de ovário mas ele não consegue ver a trompa que ela é muito fininha. Então o ideal é que se o seu médico pedir esse exame, é importante fazer. Se você gostou do nosso vídeo, inscreva-se no nosso canal, dê o seu like e ative a sininho de notificação para receber mais vídeos.

histerossalpingografiaexameamatotvvídeo
Categories: Medicina

Planejamento familiar para mulheres espertas.

Planejamento familiar

Planeje sua vida, familia e filhos. Dra Juliana Amato, ginecologista do instituto Amato (www.amato.com.br) explica sobre o planejamento familiar.

 

-- transcrição -- Olá! Hoje nós vamos conversar um pouquinho sobre planejamento familiar. Meu nome é Juliana Amato. Eu sou ginecologista obstetra aqui do Instituto Amato e faço também a parte de reprodução assistida. Porque é importante ter um planejamento familiar? Aqui no consultório recebo muitas mulheres próximas dos 40 anos com desejo de engravidar. O que é importante nessas mulheres? Como as mulheres hoje em dia elas estudam mais elas estão no mercado de trabalho. Elas têm outras possibilidades. Elas cresceram muito em importância no nosso mercado. Essa maternidade vai ficando mais para frente... E com isso chega nos 38 a 39. Poxa! Da uma parada e fala "Não tive filhos agora... pretendo ter filhos". O planejamento familiar é importante para essas mulheres. Hoje em dia dá para você programar sua gravidez. Então a mulher a partir dos 30 anos já pode conversar com seu ginecologista e preparar/programar a sua gravidez mais pra frente. Hoje em dia a gente tem um congelamento de óvulos que permite à mulher estimular a ovulação, coletar seus óvulos e mantê-los congelados e guardados em um laboratório de reprodução assistida e usá-los quando ela quiser. Para fazer uma fertilização e engravidar nessa época. Porque é importante pensar nesse planejamento? Porque até os 35 anos esse congelamento de óvulos é muito tranquilo de ser feito. A gente consegue uma quantidade muito boa de óvulos para congelamento são óvulos jovens, não tem tanta influencia da idade na morfologia desses óvulos e permite que a mulher congele e quando ela tiver com 38/39 dias congele e use esse óvulo mais jovem com uma facilidade maior de engravidar num processo de fertilização in vitro. O que a gente vê" quanto maior a idade, maior do que 35 anos. A gente começa a ter uma queda da fertilidade nessa mulher, então o óvulo dela antes dos 35 anos tem uma maior chance de gravidez do que um óvulo maior do que 35 anos de 38 ou 39 anos. Então é importante pensar nisso. Hoje em dia a mulher ela tem essa facilidade. Converse com seu ginecologista e planeja sua vida. Hoje em dia nós mulheres, nós temos capacidade de planejar muita coisa na vida: emprego, casamento, família. Antigamente isso não era possível e hoje é. Se você gostou do nosso vídeo inscreva-se no nosso canal, dê o seu like e ative o sininho de notificação para receber mais vídeos.

planejamento familiaramatotvvídeo
Categories: Medicina

Como aplicar medicações de reprodução humana

Como aplicar medicações de reprodução humana

Como aplicar medicações de reprodução humana

A administração das medicações de reprodução humana é bem simples, mas precisa ser entendida antes para não haver erros, que podem prejudicar seu tratamento. A Dra Juliana Amato, ginecologista do Instituto Amato (www.amato.com.br) explica como fazer a auto aplicação desses medicamentos

. -- transcrição -- \ Hoje nós vamos conversar um pouquinho sobre a administração das medicações de reprodução assistida. Muitas pacientes têm muitas dúvidas quanto à aplicação. Tem receio de se aplicar uma injeção. Receio da agulha. Receio de errar. Receio de não saber calcular a dose ideal. Então hoje eu vou mostrar como é que se usa essa medicação. Essas são as canetas de medicação de FSH recombinante usados nos tratamentos de indução da ovulação de reprodução assistida tanto de fertilização quanto indução da ovulação. Como ela é aplicada? Ela é aplicada via subcutânea. Ela vem em canetas, diferenciadas por dosagens. Na farmácia vocês vão achar a dosagem de 300, dosagem de 600, ou dosagem de 900. O seu médico vai dizer qual é a melhor dosagem para você comprar de caneta, a partir da medicação a partir da dose que ele escolher. Você abre a caneta. Você coloca a agulha que vem junto nessa região. Aqui existem os números referentes à dosagem. Você vai girar a caneta para chegar até a dosagem indicada pelo seu médico. Chegou na dosagem indicada!? Você limpa a região do abdômen com um algodão com álcool. Faz uma dobrinha na região onde tem mais gordura. Coloca a caneta em 90 graus e aperta até o final. Conta até 10, e depois que contar até 10, você retira a caneta. Depois que você aplica a medicação, você tira a agulha da ponta, fecha a caneta e guarda na geladeira novamente. Para ser usada um próximo dia. O que é importante quando você administra essa injeção? Não coçar e não estimular essa região abdominal logo após a injeção. O que pode acontecer? Às vezes você pode pegar um vaso sanguíneo na região da injeção e formar um hematoma. É comum acontecer. Se acontecer não tem problema. Esse hematoma ele vai involuir, ele vai sumir em alguns dias. Indicado também se você escolheu aplicar numa região do abdômen essa medicação. Você não vai aplicar sempre no mesmo local. Você vai mudando os locais de aplicação no abdômen. Pode ser feito em todo o abdômen inferior na região onde tem mais tecido gorduroso. Então essa é uma medicação muito tranquila de ser aplicada. Essa medicação ela tem que ser aplicada no mesmo horário. Ou seja se você escolheu aplicar oito horas da noite. Todos os dias por volta das 8 horas da noite você tem que estar aplicando. Porque ela tem uma meia vida de 24 horas se você não aplicar no mesmo horário. Essa medicação não vai fazer o efeito desejado. Se acontecer da pessoa esquecer de aplicar naquele horário ou for aplicar duas horas depois saiba que seu tratamento pode estar comprometido. Ou se ela teve algum imprevisto e não conseguiu aplicar nesse dia. Tem que cancelar o ciclo! Se ela esquece não tem como aplicar depois e ter uma boa resposta a essa medicação. Normalmente os médicos possuem essas canetinha pra explicar para o paciente como que é utilizado. Então pergunte para seu médico. Peça uma orientação, uma demonstração. Essas medicações elas têm que ser guardadas em geladeira. O ideal é que não fique em porta de geladeira porque quando a gente abre entra aquele bafo da geladeira. Então fica uma temperatura adequada na porta da geladeira. Coloca sempre ela no fundo da geladeira. Dentro de um isopor ou pode ser até fora do isopor, mas lá no fundo para não não ter mudanças de temperatura nessa medicação que pode prejudicar sua eficácia. Se você gostou do nosso vídeo dê o seu like. Inscreva-se no nosso canal. Ative a Sininho de notificação para receber mais vídeos.

amatotvvídeofivdica
Categories: Medicina

Congelamento de óvulos

Dra Juliana Amato, ginecologista do Instituto Amato (www.amato.com.br) , explica sobre o congelamento de óvulos.

-- transcrição -- 

Meu nome é Juliana Amato. Hoje a gente vai conversar um pouquinho sobre o congelamento de óvulos. Qual a melhor idade para congelar os seus óvulos? Até os 35 anos de idade. E para quem é indicado o congelamento de óvulos? É indicado para mulheres que não têm nenhuma perspectiva de gravidez que queira postergar a sua gravidez pra estudar, para fazer um doutorado, mestrado ou mesmo para viajar e que não querem engravidar antes dos 35 anos. Para mulheres que foram diagnosticadas com câncer. Qualquer tipo de câncer. Porque? Quando tem o diagnóstico do câncer vai fazer a cirurgia para retirada do tumor e, provavelmente, vai ter que depois dessa cirurgia fazer um tratamento de radioterapia e quimioterapia o que vai diminuir a sua fertilidade. Porque? Essas medicações agem nas células cancerígenas mas elas agem nas células boas também. Então a gente tem que preservar as células ovarianas. A gente tem que preservar esses folículos esses óvulos dessas mulheres. Como é realizado o tratamento? O congelamento de óvulos a gente faz uma estimulação da ovulação. Essa estimulação da ovulação são com hormônios injetáveis mais ou menos de 10 a 12 dias de hormônios e a gente acompanha por meio de ultrassom transvaginal o crescimento desses folículos. A partir do momento que esses folículos estão em um tamanho adequado. Toma-se uma outra medicação injetável que vai fazer ovular 36 horas depois. Nessas 36 horas depois toma-se uma anestesia. Dorme  15 minutinhos e por meio de aspiração guiada por um ultrassom transvaginal a gente retira esses óvulos. Esses óvulo são classificados no mesmo dia pelo laboratório e são congelados os óvulos maduros. E por quanto tempo esses óvulos podem ser mantidos congelados? Não tenho uma data específica. Eles podem ficar congelados por vários anos e podem ser descongelados a qualquer momento. Depois dessa retirada de óvulos vida normal não precisa ter nenhum nenhum acompanhamento específico nem um tratamento específico. Podendo voltar as suas atividades no dia seguinte. E qual é a melhor época para se descongelar esses óvulos e fazer um tratamento de fertilização assistida? O ideal é que até 40 anos. Mas, se não for possível, tem casos de mulheres de 50 anos. Mas o ideal é que seja um pouquinho antes porque com 50, a mulher ja entra no processo de menopausa tem várias alterações hormonais e fico um pouquinho mais complexo que aumentam as chances de falhas de implantação, aumentam as chances de diabetes gestacional e hipertensão na gravidez é considerada uma gravidez de alto risco. Se você gostou desse vídeo se inscreva no canal. Deixe seu comentário. Ative a Sininho de notificação para receber mais vídeos.

congelamentoamatotvvídeo
Categories: Medicina

Endometriose na reprodução assistida

Endometriose na reprodução assistida

Dificuldade para ter um bebê? Sabia que a endometriose interfere na reprodução humana? Dra Juliana Amato, ginecologista do Instituto Amato (www.amato.com.br) fala sobre a endometriose e tratamento de reprodução assistida.

-- transcrição --

Olá meu nome é Juliana Amato sou ginecologista e obstetra do Instituto Amato e hoje a gente vai conversar um pouquinho sobre a endometriose tratamento de reprodução assistida. Então a endometriose é uma doença inflamatória e ela ocorre pela presença de tecido de endométrio fora do útero o que pode ocorrer no intestino e cavidade abdominal, bexiga, ovários e está associado com baixa fertilidade. É mais comum em pacientes a partir dos 32 anos. O principal sintoma de endometriose é dor: dor pélvica, dor abdominal, principalmente no período pré menstrual e menstrual. Pode estar associado com dor à evacuação e também com dor à micção. Em casos mais graves pode estar associado até a um sangramento na hora da micção. As pacientes com a endometriose, dependendo do grau de endometriose elas têm uma dificuldade de engravidar. São pacientes que já vêm com diagnóstico de endometriose com uma dificuldade de engravidar há anos. O mais indicado é que se faça uma fertilização in vitro (FIV).  Antes de fazer essa fertilização é preciso uma avaliação da cavidade abdominal dessa paciente. Ou seja uma videolaparoscopia se for uma endometriose profunda muitas vezes é indicado fazer uma videolaparoscopia antes para retirar aqueles focos de endometriose. Diminuir esse processo inflamatório abdominal, para melhorar a implantação desse embrião quando for fazer uma fertilização in vitro (FIV). Muitas vezes se uma endometriose mais leve. Não precisa fazer uma cirurgia anterior mas quem decide isso é o médico que está acompanhando. E Porque é uma fertilização in vitro? Porque já se faz o embrião em laboratório coloca-se ele pronto dentro do útero, quebrando ou passando várias fases que poderiam ser prejudicadas pelo processo inflamatório da doença. Se você gostou do nosso vídeo Inscreva-se no nosso canal,  de o seu like, ative a Sininho de notificação para receber mais vídeos. Obrigada.

endometrioseamatotvvídeo
Categories: Medicina

Tratamentos de alta complexidade na reprodução humana. FIV.

Dificuldade para ter um bebê? Já tentou de tudo e não consegue? Talvez seja necessário o uso das modernas técnicas de fertilização. Dra Juliana Amato, ginecologista do Instituto Amato (www.amato.com.br), fala sobre as técnicas de alta complexidade no tratamento da infertilidade.

-- transcrição --

Olá meu nome é Juliana Amato, sou ginecologista e obstetra do Instituto Amato e hoje nós vamos conversar um pouco sobre os tratamentos de alta complexidade em reprodução assistida. E o que consiste nesse tratamento? Esse tratamento consiste na fertilização in vitro com a técnica de ICSI que é injeção intra citoplasmática de espermatozoides ou a fertilização in vitro convencional. Qual que é a diferença desses dois procedimentos? A fertilização in vitro  convencional  é realizada com a colocação do sêmen do espermatozoide na placa de Petri junto com o óvulo e essa fertilização  ocorre sem nenhuma interferência de quem está fazendo essa fertilização (do biólogo). A fertilização in vitro pelo método de ICSI é realizado uma injeção dentro do óvulo para injetar o espermatozoide lá dentro. Então são duas técnicas de fertilização mas cada uma tem uma indicação específica. E para quem é indicado a fertilização in vitro? Então é indicado para pacientes que estão há muito tempo tentando engravidar que já tentaram outros tratamentos anteriores e não obtiveram sucesso. Para mulheres maiores de 35 anos que tem um problema tubáreo, uma obstrução tubárea e não é possível uma gravidez natural, e para pacientes também casais aonde tem algum problema de azoospermia oligoespermia  no homem. O que é isso? É uma baixa produção de espermatozoide ou esse homem ele não tem uma produção adequada de espermatozoides e essa produção pode estar até zerado.  Como é realizado a fertilização in vitro? Então é realizada uma estimulação da ovulação com medicações injetáveis de 10 a 12 dias para que se consiga estimular o crescimento dos folículos que foram pré determinados no início do ciclo. Aqui em fertilização in vitro. Diferentemente de uma inseminação artificial, essa indução da ovulação é feita para que cresçam vários folículos e não somente um. Essa indução da ovulação ela demora mais ou menos de 10 a 12 dias quando os folículos eles já estão num tamanho adequado para deflagrar a ovulação é realizada uma nova medicação que vai fazer essa ovulação ocorrer 36 horas depois. Depois dessas 36 horas esses óvulos são retirados. A mulher toma uma sedação uma anestesia ele é retirado através de uma aspiração folicular guiada por ultrassom e no mesmo dia o homem  colhe o seu sêmen no laboratório e esse sêmen é utilizado para fertilizar esses óvulos retirados da mulher. O tratamento todo entre estimulação da ovulação a retirada dos óvulos e a recolocação do embrião  dura aproximadamente de 10 a 15 dias depois que se retirou esses óvulos e se fertilizou em laboratório. Esse embrião ele fica sendo observado pela bióloga em laboratório e no terceiro dia ele é classificado como um embrião bom, ruim ou regular e a partir daí, De acordo com o médico, esse embrião já pode ser transferido para dentro do útero. Após 12 dias da transferência do embrião pode ser realizado um beta hCG para saber se essa gravidez  foi para frente ou seja se o procedimento deu certo. Muitas pessoas me perguntam quais as chances da fertilização in vitro dar certo de uma primeira vez?. É muito difícil responder essa pergunta porque cada casal é um casal. Tem um problema diferente de infertilidade. Então a gente não tem como falar generalizado uma possibilidade de gravidez nesse tratamento. Então o ideal é que você converse com seu médico e a partir do diagnóstico feito por ele, Você ter uma noção melhor da probabilidade de gravidez no procedimento para o seu caso. Se você gostou do nosso vídeo se inscreva no canal. De o seu like, ative o sininho de notificação para receber mais vídeos.

alta complexidadefiv
Categories: Medicina

Tratamentos de baixa complexidade em reprodução assistida

Tratamentos de baixa complexidade em reprodução assistida

Tratamentos de baixa complexidade em reprodução assistida

Dificuldades em ter um bebê? A Dra Juliana Amato, ginecologista do Instituto Amato explica as técnicas de baixa complexidade nos tratamentos de infertilidade em reprodução humana.

-- transcrição --

Meu nome é Juliana Amato sou ginecologista e obstetra. Hoje nós vamos conversar um pouquinho sobre os tratamentos de baixa complexidade em reprodução assistida. Existem dois tratamentos de baixa complexidade que são o coito programado e a inseminação artificial. Quais os casais são indicados para fazer esse tipo de tratamento? São os casais que a mulher só tem um problema ovulatório. São casais onde a mulher tem menos de 35 anos onde o homem tem uma quantidade boa de espermatozoides o que permite fazer esse tipo de tratamento. Que consiste o coito programado? Ele é um tratamento onde se faz a indução da ovulação. Essa indução da ovulação vai fazer crescer o folículo e Esse folículo vai ovular no período que a gente quiser vai tomar uma medicação e a partir do momento que Esse folículo tiver um tamanho pré definido a gente dá uma outra medicação que vai fazer ovular 36 horas depois e com isso a gente consegue orientar o casal o melhor período para se ter relação para aumentar essa chance de gravidez. E a inseminação artificial? A inseminação artificial é indução da ovulação da mulher quando ela está no período ovulatório a gente deflagra essa ovulação com medicação e 36 horas depois a gente coloca o sêmen do marido processado com os melhores espermatozoides dentro do útero através de um cateter para aumentar essa chance de gravidez. Então são tratamentos bem diferentes e cada um tem sua indicação bem estabelecida. Mas pra você saber qual é o tipo de tratamento mais indicado o melhor é conversar com o médico de reprodução assistida porque não é todo tratamento que o casal é apto a fazer. Tem que ter uma avaliação de todos os hormônios. Uma avaliação do espermograma do marido. Tem que ter uma série de exames para ver qual o melhor tipo de tratamento para você. O que eu vejo muito em pacientes que chegam ao consultório são pacientes que tomam a medicação porque lêem na internet que tal medicação é indicada pra fazer ovular e elas tomam por vários meses consecutivos e vem ao consultório falando doutor eu já tomei  essa medicação por vários meses e nada aconteceu. Isso é muito perigoso porque essas medicações elas estimulam a ovulação mas a longo prazo elas podem causar uma injúria no ovário. Às vezes podem causar, até descrito em estudos, câncer de ovário. Então não tomem medicação sem orientação médica porque realmente é muito perigoso. Consulte o seu médico converse com ele que ele vai te falar o melhor tipo de tratamento adequado para você. Se você gostou do nosso vídeo se inscreva no canal dê o seu like, ative o sininho de notificações para receber novos vídeos. Obrigada.

baixa complexidadecoito programadovídeoamatotv
Categories: Medicina

Meningioma e Radioterapia

Neurocirurgia - Fri, 11/01/2019 - 08:04

Meningioma é um tumor benigno que surge nas membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal, ou seja, a lesão cresce entre o tecido o nervoso e o osso, seja o crânio ou a coluna vertebral. É extremamente raro haver invasão do tecido nervoso pelo meningioma, ou seja, geralmente os sintomas aparecem pela compressão do cérebro, medula ou raizes nervosas. Na coluna vertebral, o meningioma pode simular um quadro de hérnia de disco, com dor, fraqueza e perda de sensibilidade nos membros. No crânio, dor de cabeça, vômitos, alterações visuais e crises epilépticas podem ocorrer, especialmente se o tumor for grande. Outros sintomas vão diferenciar de acordo com a região em que o meningioma se localiza. Por exemplo, na região frontal, o meningioma pode causar perda de visão e olfato, perda de força, além de depressão e alteração comportamental; na região temporal, pode causar perda de memória, alterações auditivas e da fala; na região occipital (posterior), pode causar perda de equilíbrio e coordenação; na região parietal pode causar perda de sensibilidade e também de força. 
Radioterapia é um tratamento que utiliza radiação ionizante para destruir as células de um tumor, e impedir que ele cresça novamente. Por esse motivo a radioterapia é utilizada para o tratamento de câncer. É importante ressaltar que para a radiação alcançar o alvo desejado, tecidos normais certamente sofrerão também com a radiação. O avanço tecnológico permitiu que os efeitos colaterais da radiação no tecido normal se minimizassem, o que expandiu o uso da radioterapia para outras situações que não o câncer. É o caso da radiocirurgia, que apesar do nome, não envolve nenhum corte e sim, a realização da radioterapia em uma única sessão.
 
Quando o meningioma é muito pequeno, não está causando problemas, e foi diagnosticado incidentalmente, pode ser possível a observação clínica e acompanhamento periódico com exames de imagem. Do contrário, o tratamento do meningioma é cirúrgico! Como esse tipo de tumor cresce fora do tecido nervoso, é possível retirar o tumor sem causar dano algum ao cérebro ou medula espinhal. O que não acontece com a radioterapia, que sempre irá causar dano ao tecido próximo à lesão. Alguns meninonas são de muito difícil acesso para a cirurgia, geralmente aqueles localizados no seio cavernoso, nesses casos o neurocirurgião pode indicar o tratamento com radioterapia, pela impossibilidade do tratamento cirúrgico. Em outro casos, a avaliação anatomo-patológica (biópsia) revela um meningioma agressivo e que tem chance maior de retorno, nesses casos a radioterapia realizada após a cirurgia, também é benéfica. Mas na grande maioria dos casos o tratamento do meningioma é cirúrgico e não radioterápico!

Categories: Medicina

Projeto Coluna e Bem Estar

Neurocirurgia - Tue, 10/29/2019 - 01:09

Projeto Coluna e Bem Estar - Tratamento cirúrgico de hérnia de disco por endoscopia

Este projeto visa o tratamento cirúrgico minimamente invasivo de pacientes com hérnia de disco lombar que não tenham acesso a plano de saúde privado ou que estejam aguardando atendimento pelo SUS, e consequentemente, estejam sofrendo de dor com impacto em sua qualidade de vida e sem condições financeiras de realizar tratamento adequado. 
O Instituto Amato doará entre 5 e 10 cirurgias de hérnia de disco por endoscopia e realizará programa de orientação de cuidados de reabilitação!!
 
Serão incluídos pacientes:
- de 16 a 65 anos
- com dor ciática (irradiação para a perna) com pelo menos 6 semanas de dor
- sem melhora com o tratamento medicamentoso
- que possuam Ressonância Magnética recente (no máximo 6 meses) que mostre hérnia de disco única de L3L4, L4L5 ou L5S1. A ressonância deve justificar os sintomas apresentados. 
- exames pré-operatórios que incluem: hemograma, coagulograma, uréia, creatinina, sódio, potássio e glicemia de jejum
 
Não serão incluídos os pacientes que apresentarem:
- dor há mais de 1 ano
- ressonância com mais de 6 meses
- outras doenças da coluna concomitante à hérnia de disco, como estenose de canal, estenose foraminal, espondilolistese, deformidade como a escoliose, fratura, infecção ou tumor. 
- condições clínicas que contraindiquem a realização de procedimento cirúrgico em sistema de hospital dia como Diabetes descompensada, coagulopatia, hipertensão arterial descompensada ou grave e outros.
- motivo diverso após a avaliaçao pela equipe médica ou de enfermagem
- pacientes que possuam plano de saúde ou condições próprias de arcar com os custos da cirurgia
 
A primeira fase do projeto terá o seguinte cronograma:
 
Data para envio da documentação: 30 de novembro de 2019 *
Data para atendimento clínico: dezembro de 2019
Data para realização das cirurgias: até março de 2020
 
* enviar resumo da história e todos os exames, incluindo as imagens da ressonância para contato@neurocirurgia.com
* imprimir, preencher e enviar o seguinte formulário: https://www.neurocirurgia.com/content/formulario-projeto-coluna-e-bem-estar
* responder o questionário através do link (no "Local de Atendimento", clicar na opção Projeto Coluna e Bem Estar): https://www.neurocirurgia.com/content/questionariolombar
 
 
Médicos responsáveis pelo Projeto
Dr. Marcelo Campos Moraes Amato
Dr. Bruno Cesar Aprile
Dr. Cezar Augusto Alves de Oliveira
Dr. André Tosta Ribeiro
Dr. Carlos Henrique Lemos
 
Para mais informações sobre a cirurgia, acesse os links:
 
https://www.neurocirurgia.com/content/video-endoscopia-da-coluna
 
https://www.neurocirurgia.com/content/video-acesso-transforaminal
 
https://www.neurocirurgia.com/content/video-pos-operatorio-de-hernia-de-disco
 
https://www.neurocirurgia.com/content/cirurgia-endoscópica-da-coluna
 
https://www.neurocirurgia.com/content/cirurgia-endoscópica-da-coluna
 
https://www.neurocirurgia.com/content/hernia-de-disco-acesso-interlaminar-endoscopico
 
 
Apoio:
Amato - Instituto de Medicina Avançada
GIEC - Grupo de Inovação Endoscópica da Coluna

Categories: Medicina

Obesidade e Hérnia de Disco

Neurocirurgia - Wed, 10/16/2019 - 18:24

Obesidade e hérnia de disco, como tratar?
 
O sobrepeso é um dos fatores de risco para o aparecimento de hérnia de disco lombar. Considerando que o amortecimento do impacto nas vértebras é a principal função do disco intervertebral, é lógico pensar que a sobrecarga nessas articulações pode levar a problemas em seu funcionamento. O ânulo fibroso, camada mais grossa e externa do disco intervertebral, sofre com o abaulamento constante produzido pelo excesso de carga. O resultado são pequenas fissuras nas fibras do ânulo fibroso, por onde o núcleo pulposo (parte interna do disco) pode sair e causar compressão das estruturas nervosas. É importante ressaltar que a obesidade não é a única causa de hérnia de disco, pois esta é uma doença multifatorial e, geralmente, há uma predisposição genética para que ela ocorra.
 
O tratamento inicial da hérnia de disco nestes pacientes não difere muito dos demais, e deve incluir repouso relativo e uso de medicação sintomática e anti-inflamatória. Dependendo do estágio da hérnia de disco, diferentes tipos de fisioterapia podem ser indicados, além de educação postural e conscientização corporal. Nos pacientes obesos, a orientação nutricional e o acompanhamento conjunto do endocrinologista são importantes. Por causa da dor, geralmente os pacientes estão estimulados a atingir seus objetivos de emagrecimento e vida mais saudável. Momento, portanto, de aproveitar para iniciar o seguimento com profissionais capacitados.
 
Mas e se precisar de cirurgia?
 
Casos em que a dor não cessa com o tratamento clínico ou em que há deficit neurológico como perda de força, formigamentos, dormência e também dor insuportável, o tratamento cirúrgico pode ser escolhido pelo médico. Intervenções cirúrgicas tradicionais em obesos podem ser muito trabalhosas para o cirurgião e arriscadas para os pacientes, mas a cirurgia endoscópica da coluna traz uma enorme vantagem, pois tecnicamente não há diferença em operar um indivíduo magro e um com obesidade mórbida, precisando-se apenas um endoscópio (instrumento) mais curto ou mais longo. Isso acontece porque a “câmera” pode ser posicionada no ponto de interesse da coluna, independentemente da quantidade de tecido que há ao redor.
 
Lembrando que o alívio da dor nesses pacientes, é essencial para que consigam iniciar o quanto antes, atividades físicas que auxiliem na perda de peso, bem-estar e prevenção de novos problemas da coluna.

Categories: Medicina
Subscribe to Orientação Médica - Perder Peso aggregator